//Chefe Silva – Biografia (11)

Chefe Silva – Biografia (11)

Depoimentos de Manuel Luís Goucha e Luísa Calado, subdirectora de Programas da RTP Porto.

As suas participações regulares na televisão aconteceram sempre nos estúdios da RTP no Monte da Virgem, em Gaia. Ao longo destes mais de 30 anos ali ganhou reconhecimento profissional e construiu sólidas amizades, como é o caso de;

Luísa Calado
(Subdirectora de Programas do Centro de Produção do Norte da RTP)

“É uma figura de uma grande nobreza, de uma educação extraordinária e de uma lealdade inigualável”.

Conheceu o Chefe Silva já lá vão cerca de 20 anos. Nessa altura, ao final da manhã, antes do jornal, era emitido um programa de culinária com cerca de 25 minutos.
O Chefe Silva garantia um dos cinco dias da semana.

Em mais de 20 anos de atividade Luísa Calado cruzou-se com pessoas “que ficam para sempre na nossa memória profissional, na memória pessoal e no coração” afirma, acrescentando que “o Chefe Silva é uma dessas pessoas. Tenho um carinho muito especial por ele que é correspondido porque é, de facto, um grande senhor. É uma figura de uma grande nobreza, de uma educação extraordinária e de uma lealdade inigualável.
Nós temos alguns grandes amigos da RTP a quem nos mantivemos sempre fiéis e leais e eles também. E o Chefe Silva é sem dúvida, um dos grandes amigos da RTP e particularmente um dos grandes amigos do, como agora se chama, Centro de Produção do Norte”
.
Recorda que ele era de facto uma vedeta mas que “ainda hoje é muito reconhecido”.
Depois, não resiste a uma apreciação técnica ao amigo e revela que “do ponto de vista mediático ele possui as características que eu creio que as figuras em televisão devem ter. Serem como são, usando a naturalidade, a simplicidade, a simpatia e a empatia que conseguem criar com o público. E ele tem-nas, naturalmente. Ele é assim. É genuíno. E há vedetas a quem isso falta”.
Lembra grandes figuras públicas que se mantêm ao longo de muitos anos e acrescenta que o Chefe Silva “tem uma figura física que joga a seu favor. É uma figura redonda, simpática, bonacheirão e com aquela cara que mantém, de menino bebé, de olho pequeno e azul. Tudo isto, e o talento das suas propostas culinárias, claro”.

Refere a capacidade que o Chefe sempre demonstrou em granjear respeito e consideração “desde os chefes máximos aos mais simples funcionários”.
Define-o como uma figura transversal na RTP e revela que ele terá sido “a pessoa com quem eu iniciei e interrompi mais vezes a colaboração”.
Sublinha que, apesar da incomodidade e muitas vezes dificuldade em aceitar o final de uma participação “o Chefe Silva sempre compreendeu isso. Sempre teve consciência de que há o desgaste da imagem. Ele sabe isso e diz: Sabem que podem sempre contar comigo”. Do outro lado, a resposta, sem hesitação: ”e nós dizemos que o Chefe Silva pode sempre contar connosco”.

Numa das vezes em que foi interrompida uma colaboração regular “o Chefe, com o comportamento habitual, respondeu que continuaria á disposição para quando o entendêssemos”.
Trazendo nas mãos um conjunto de facas devidamente ‘encaixadas’ no respetivo suporte, com as quais costumava trabalhar nas gravações, disse a Luísa Calado o quanto gostaria de lhas oferecer.
“Eu pedi-lhe que não levasse a mal mas há muitos anos que mantenho este princípio de não aceitar seja o que for, porque o meu cargo de chefia leva-me a dar exemplos”.
O Chefe olhou-a e “nunca mais esquecerei aqueles olhos azuis quase com lágrimas balbuciando: queria tanto que aceitasse. Quebrei a minha regra, por ele. Só por ele o poderia fazer. E lá estão, na minha cozinha, onde, assim, tenho sempre o Chefe Silva presente”.
Termina afirmando: “Ele é um homem muito simples e de uma enorme grandeza”.

 

 

Manuel Luís Goucha fez culinária na RTP. Em 1994 iniciou uma carreira de sucessos como apresentador de programas matinais na televisão portuguesa. Em fevereiro de 1997 no DNA (revista do Diário de Notícias) deu uma entrevista, em conjunto com o Chefe Silva:

Manuel Luís Goucha
(Apresentador de televisão)

“Falar do chefe Silva, é recordar repiques e lengalengas…”

A jornalista Sónia Morais Santos conta que os dois comeram creme de coentros e empada de faisão e perdiz, beberam vinhos da Cooperativa de Portalegre 1991 e Casa de Saima, 1990. Para sobremesa Leite Creme e a terminar, ambos beberam café.
A determinada altura da entrevista Goucha diz:
“O Chefe Silva representa aquela geração de cozinheiros que foi e é a grande defensora da cozinha tradicional. É o típico cozinheiro português – assim redondinho, bonacheirão, simpático. Apetece tê-lo como pai ou avô, não é?”
Em 1995 Manuel Luís Goucha iniciou as emissões da ‘Praça da Alegria’ a partir dos estúdios da RTP Porto. Desse tempo, mas não só, ficaram memórias que permitem ao apresentador ‘falar assim’ do Chefe Silva;

“É fácil falar de pessoas como o chefe Silva, porque é falar de coisas gratas, das que nos enchem a alma, como a ternura e o respeito. Sabe bem falar de pessoas para quem a generosidade e a humildade não são palavras vãs, antes valores que balizam um caminho andado em defesa da cozinha e tradições que são nossas. Simboliza o chefe Silva toda uma geração que da tarimba fizeram escola em prol de uma arte, nem sempre assim tida. Por isso o meu respeito, que a ternura essa guardo-a dos momentos de partilha e do seu jeito de ser.
Através das histórias que conta e canta (sim, que o chefe sabe cantar entre os seus de Caldelas), e do seu sábio oficiar, continuo a descobrir um país que é, também por tudo isso, diferente de quantos com ele fazem união. Falar do chefe Silva, é recordar repiques e lengalengas…o cheiro do fumeiro e da esteva… o frescor da água da nascente… Falar do chefe Silva é celebrar o que de mais autêntico pode uma vida encerrar.
Tivesse eu talento e cerziria esta toada a fio de seda e ouro, tal é a nobreza que encontro neste homem do Povo.
Obrigado Chefe”

Manuel Luís Goucha


Chefe Silva – Biografia, tem o patrocínio de:

Do valor dos patrocínios, 25% é atribuído à área de Formação da ACPP – Associação de Cozinheiro Profissionais de Portugal, de que o Chefe Silva foi um dos fundadores.

Nota – Pode consultar todos os capítulos já publicados em:
https://jornalsabores.com/category/gastronomia/chefe-silva/