//“Uma casinha portuguesa, com velhotes sobre a mesa”

“Uma casinha portuguesa, com velhotes sobre a mesa”

Este é o mote do X Capítulo que a 1 de julho a Confraria Gastronómica dos Velhotes realiza em Valadares, Vila Nova de Gaia.

Na cerimónia das Insígnias e Entronização, ponto alto da vida desta confraria, são recebidos os novos membros que irão contribuir para a defesa e divulgação deste delicioso ‘pão meio açucarado’ (ver https://jornalsabores.com/os-velhotes-valadares/).

A origem desta confraria remonta ao ano de 1998 quando se começou a reunir um pequeno grupo de homens de Valadares, uma vez por mês, no Cantinho do Amigo. O grupo alargou-se e no final desse ano foi “criada” a Confraria dos Amigos de Bem Comer e Beber.

Na ocasião, foi adotado por todos os membros da confraria os seguintes princípios e lema:

“A presente confraria é um destes raros prazeres que ainda são possíveis desfrutar. E se os olhos ficam encantados com o poder da sua capacidade associativa, o que dizer quando nos entregamos a apreciá-la por inteiro? De boa profundidade, com passa de uva e um toque gastronómico variado que lhe confere personalidade, estamos perante a companhia ideal, para além dos prazeres da mesa, temos também o gozo de saber viver. Os componentes da confraria devem ter o dom de prolongar no tempo tudo aquilo que é bom. A boa comida e o vinho por exemplo, em especial este último são feitos calmamente. E calmamente se apreciam. É uma arte que não é exclusiva pois é do domínio de muitos.

Mas para além da gastronomia que é o motivo dos nossos encontros, e do bom vinho que vale a pena apreciar devagar, há outras coisas que vale a pena apreciar devagar e que hoje escasseiam: o convívio saudável, o companheirismo.”

Com o decorrer do tempo, com o objetivo de fazer uma aproximação ao património histórico/gastronómico decidiu-se mudar a designação para Confraria do Velhote, oficializada através de escritura notarial efetuada em dezembro de 2002.

O Traje desta confraria é constituído por: Capa azul debruada a um outro azul claro e chapéu clássico caraterístico da época em que os “velhotes” nasceram, em cinzento também ele envolto numa fita de azul, a cor predominante da Confraria. O Escapulário ostenta, em bronze, «os velhotes».

Eis o programa deste X Capítulo da Confraria Gastronómica dos Velhotes

8h45 – Receção e Velhote d’honra na Confeitaria Excêntrico, com a colaboração da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do P. Porto (Póvoa de Varzim e Vila do Conde).
No espaço exterior, encontro das Confreiras e dos Confrades para permuta de emblemas (pins) das Confrarias.

10h15 – Desfile das Confrarias e convidados abrilhantado pela Associação Cultural e Musical de Avintes.
A anteceder, obtenção da fotografia da família Confrádica.

10h45 – Cerimónia solene das Insígnias e Entronização de novos Confrades no Cine-Teatro Eduardo Brazão.
Apresentação individual das Confrarias presentes e assinatura do livro de honra.
Apontamentos musicais: saxofone Alfredo Vieira da Silva e Vozes Trinadas (Porto na memória)

13h30 – Almoço de Gala (confraternização) animado por conceituado DJ no Restaurante 1715
Oferta de lembranças da Confraria da Junta de Freguesia e do Município.
Oferta de lembranças individuais a todos os convivas.