//Batatas assadas na areia com sardinhas

Batatas assadas na areia com sardinhas

História e receita da ‘Confraria Gastronómica Nabos e Companhia’ de Carapelhos (Mira).

O esforçado Gandarês arranca a um chão maninho, raso como a palma da mão, as batatas e os grelos de nabo. Pé no barco, pé na terra, este homem do litoral de Mira, evocado por Almeida Garret, endireita as costas dobradas à enxada para as vergar ao desafio do mar que lhe há-de conceder, generoso pela ousadia, a dádiva do peixe.
Os bois puxam a rede que se abre num mar de carapau e sardinha a saltar da malha do saco para a fogueira de trangalhos recolhidos da mata de pinheiros bravos, logo ali, a fixar as areolas da costa. Do brasido que escaldou a areia, cuja quentura há-de assar as batatas roleiras, grelha-se o peixe que as conduta.
A Confraria Nabos e Companhia, fiel às receitas tradicionais da gastronomia Gandaresa, valoriza-as com os versáteis grelos de nabo e prepara-as do modo que segue:

Batatas Assadas na Areia com Sardinhas

Ingredientes
(Receita para 4 pessoas)
2 kg de sardinhas; 1,5 kg de Batatas; 4 dentes de alho; 3 dl de azeite; grelos de nabo q.b.; louro, sal e pimenta q.b.

Preparação
Arranje as sardinhas e tempere-as com sal grosso.
Faça uma fogueira em cima da areia – de preferência da praia para beneficiar do sal impregnado – durante mais ou menos uma hora, depois puxe o brasido para o lado, que vai servir para assar a sardinhas
No local onde se fez a fogueira, puxa-se a parte de cima da areia para o lado e deitam-se as batatas miúdas na cova que ficou. Cobre-se as batatas com a areia que anteriormente se puxou para o lado e deixa-se assar durante mais ou menos 40 minutos.
Os alhos picados, a pimenta e o louro vão a alourar numa frigideira enquanto as sardinhas assam na brasa e os grelos cozem ao lado.
Quando as batatas estiverem assadas, tira-se-lhes a areia passando-as num saco de serapilheira. Colocam-se numa travessa, e dá-se-lhes um murro. Servem-se as batatas, as sardinhas e os grelos acompanhados com o respectivo molho.

 

 

Harmonização sugerida pelos Vinhos de Lisboa(Reserva dos Amigos Chardonnay 2017)
Floral e revelador de uma certa sensação de mineralidade, este Chardonnay da colheita de 2017, denota frescura q.b. e um final de boca prolongado, particularidades que, no seu conjunto, combinam com o sabor da sardinha e das batatas assadas.
www.vidigalwines.com

 

As batatas na areia
Há uma sequência de fotos (link abaixo) que mostram “esta secular e curiosa tradição das batatas assadas na areia”, como refere Silvério Manata na sua obra ‘Arneiro do Mar’.
No excerto do belíssimo livro referido, pode ler-se também a passagem em que um veterano diz a um dos jovens presentes: “então o menino não sabe que o mar, na sua eterna aliança com a areia, a impregna do sal com que ela agora tempera estas batatinhas? Aprende rapaz que os velhos não duram para sempre…”
Veja aqui as fotos e o texto de Silvério Manata, confrade da Confraria Nabos e Companhia.
https://blog-do-manel.blogspot.com/search?q=batatas&fbclid=IwAR1kJd3bS5rxrMLUyk8tAfhsCiGakWHjyCKsmE65izODy7hyYESD58i_LbE

 

Patrocínio:

 

(25% do valor do patrocínio é atribuído à área de Formação da ACPP – Associação de Cozinheiro Profissionais de Portugal, de que o Chefe Silva foi um dos fundadores.)

Nota – As Receitas dos Amigos do Chefe Silva integram a ‘Biografia do Chefe Silva’ editada em livro em 2008 e publicada agora em capítulos semanais no Jornal dos Sabores.
https://jornalsabores.com/category/gastronomia/chefe-silva/