//Aumentos dos preços da comida terá grande impacto

Aumentos dos preços da comida terá grande impacto

Segundo resultados de um estudo, o aumento dos preços terá impacto nos hábitos alimentares dos portugueses, trazendo diversas consequências.

No Dia Europeu da Alimentação e da Cozinha Saudáveis, a Edenred, uma plataforma especialista em benefícios sociais com mais de 50 anos de experiência de mercado, divulgou os resultados do ‘Barómetro FOOD 2022’, um inquérito que tem como objetivo conhecer os padrões alimentares da população ativa e as tendências na oferta dos restaurantes.

Segundo o mesmo, 94% dos portugueses consideram que o aumento de preços que se tem feito sentir de forma acentuada em todas as categorias alimentares, é o que terá maior impacto para si. Só depois é que são mencionados os aumentos relacionados com energia, transportes e habitação.

A maioria afirmou ainda que o seu orçamento para alimentação vai aumentar muito e 92% revelaram que os aumentos dos preços terão repercussões nos seus hábitos alimentares, apontando como principais consequências o maior planeamento das refeições, a compra de menos produtos e menos idas aos restaurantes.

Outra consequência da inflação dos preços dos bens alimentares listada por 19% dos questionados foi o reflexo do aumento dos preços na qualidade nutricional das suas refeições que será menor.

Para os participantes deste estudo, os impactos sentidos seriam ainda mais acentuados se não recebessem o subsídio de alimentação através de cartão de refeição, revelando a maioria que se deixasse de receber em vale social perderia poder de compra, o que teria efeitos ao nível das idas a restaurantes e da qualidade nutricional das suas refeições.

Os benefícios desta solução são igualmente destacados pelos responsáveis dos restaurantes, com 60% a indicarem que o sistema de vales sociais tem um impacto positivo no seu negócio, contribuindo para a fidelização de clientes, atração de clientes novos e promoção.

O estudo concluiu ainda que os portugueses estão mais sensíveis às questões relacionadas com a alimentação e estão também mais abertos a mudar as suas escolhas e hábitos alimentares: 79% dos inquiridos afirmaram prestar cada vez mais atenção à alimentação saudável, sendo que a principal motivação para a mudança de hábitos é mesmo a saúde. Apontada como um dos responsáveis por esta mudança por 73% dos inquiridos foi a pandemia de Covid-19, que contribuiu para aumentar a consciência das pessoas sobre a sua saúde e a necessidade de ter uma alimentação mais saudável.

Face a esta situação, 90% dos portugueses esperam hoje uma oferta mais saudável por parte dos restaurantes, com produtos frescos, informação nutricional clara, indicação de opção saudável na ementa, opções vegetarianas e/ou veganas e mais saladas. Esta mudança de hábitos levou 49% dos responsáveis de estabelecimentos a revelar que, no último ano, registaram um aumento na procura por refeições saudáveis/equilibradas. Nesse sentido, 91% dos restaurantes já disponibilizam opções mais saudáveis/equilibradas nas suas ementas, incluindo: opções vegetarianas/veganas; métodos de confeção mais saudáveis; uso de alimentos de época e/ou biológicos; pratos com baixo teor de gordura/sal e pratos nutricionalmente equilibrados.

 

Nem tudo são más notícias: Foco no combate ao desperdício alimentar

O estudo evidenciou também uma tendência positiva: os portugueses têm-se mostrado cada vez mais conscientes dos impactos ambientais, com 88% dos inquiridos a revelarem estar preocupados com o desperdício alimentar e 91% a afirmar que gostariam de saber quais os restaurantes que têm ações contra o desperdício.

Os estabelecimentos não são indiferentes à necessidade de proteger o planeta e 64% dos responsáveis de restaurantes afirmam que já implementaram medidas para combater o desperdício alimentar, mencionando ações como o uso de embalagens para levar sobras, adaptação da ementa ou de receitas, gestão de stocks, parcerias com apps ou serviços de combate ao desperdício e parcerias com bancos alimentares são as ações mais comuns.

Sobre o Programa FOOD


O barómetro FOOD é realizado em onze países europeus e é o ponto de partida para o plano de ação do Programa FOOD. Todos os anos, a Edenred, em conjunto com as entidades parceiras locais, dinamiza iniciativas que visam a promoção e adoção de uma alimentação equilibrada e sustentável junto da população ativa, diretamente ou através das entidades empregadoras, e dos restaurantes.
As conclusões do Barómetro FOOD 2022 em Portugal baseiam-se em 3356 respostas de utilizadores do cartão Euroticket Refeição Edenred, consumidores incluídos na população ativa, e de responsáveis de restaurantes pertencentes à rede de estabelecimentos Euroticket Edenred.