//‘Aspirante Geoparque Oeste’ promoveu degustação de ‘Borrego Romane’

‘Aspirante Geoparque Oeste’ promoveu degustação de ‘Borrego Romane’

O ‘aspirante Geoparque Oeste’ promoveu no passado dia 21 de novembro uma degustação de Borrego Romane e produtos ‘Prego Dourado’.

A Quinta da Galeana, no Nadrupe, foi o cenário escolhido pelo aspirante Geoparque para acolher uma iniciativa dedicada ao ‘Borrego Romane’, sendo este o principal produtor da espécie neste território.

Esta foi uma oportunidade para apresentar o programa ‘Prego Dourado’ enquanto programa de promoção dos produtos e gastronomia do território.

Segundo Miguel Reis Silva, coordenador executivo do aspirante Geoparque ,“o programa não promove só produtos locais, mas, acima de tudo, produtos que contam uma história associada ao património natural e cultural dos seis municípios que compões este território”.

Entre os seus objetivos, explicou Miguel Silva, está a criação de redes curtas de distribuição.

São mais de 50 os produtos que já foram distinguidos com o selo ‘Prego Dourado’, totalizando 46 produtores, oito pratos e quatro parceiros. Sérgio Henriques, proprietário da Quinta da Galeana, afirmou que “o Borrego Romane deverá integrar, em breve, o programa ‘Prego Dourado’.”

Borrego assado no espeto, borrego assado no forno e borrego estufado foram os três pratos degustados pelos presentes. No futuro, Sérgio Henriques espera que possa ser criada uma Quinzena Gastronómica dedicada ao Borrego Romane, que será a primeira carne produzida no território a integrar o programa. O próximo passo será integrar o peixe no ‘Prego Dourado’.

Para além de autarcas locais, o evento reuniu escolas de formação profissional e restaurantes do território que, no futuro, podem vir a comercializar este produto. Houve ainda oportunidade de alguns parceiros ‘Prego Dourado’ apresentarem os seus produtos e falarem da sua relação com o ‘aspirante Geoparque Oeste’. Os vinhos da Adega da Arrocha, a Aguardente DOC Lourinhã da Adega Cooperativa da Lourinhã, as Areias Brancas, a Tarte Dona Isabel e a Torta Catela da Doce Lourinhã, as Queijadas de Abóbora da Biofrade e São Vicentinos, São Leonardos e Compotas da Quinta da Granja foram alguns dos produtos apresentados na iniciativa.

Sobre o Programa ‘Prego Dourado’

O Programa ‘Prego Dourado’ alia o património, a gastronomia e os produtores locais, dentro da área de ação do ‘aspirante Geoparque Oeste’. Pretende promover a ligação entre o património geológico, cultural e biológico do território e as tradições gastronómicas locais, contribuindo para a preservação da identidade das comunidades e o desenvolvimento sustentável dos agentes económicos locais.

Dentro deste programa serão distinguidas duas tipologias de produtos: Geoproduto e Geoprato.

Os Produtos locais e pratos abrangidos pelo ‘Prego Dourado’ irão obter uma etiqueta identificadora e serão promovidos como parte integrante da cultura e tradições do território. Para o efeito existem três selos, um para cada categoria, podendo um prato ou produto ter os três selos: o selo ‘Património’ reconhece os pratos e produtos com alusão ao património, o selo ‘Território’, implica que, pelo menos 51% da matéria-prima seja do território do Geoparque. Já o selo ‘Biológico’, certifica que, pelo menos 51% da matéria-prima ou produtos é biológica.

O nome do projeto surge como uma homenagem ao prego dourado colocado na Ponta do Trovão, em Peniche, um objeto que visa assinalar aquele local como o único geosítio de relevância internacional neste território. Toda a informação sobre o programa ‘Prego Dourado’ está disponível online, no site do ‘aspirante Geoparque Oeste’.