//APROVESA, a nova associação de vinhos e espirituosas do Alentejo
aprovesa

APROVESA, a nova associação de vinhos e espirituosas do Alentejo

Nove produtores de vinho do Alentejo fundam associação para trabalhar ‘em rede’ e em defesa do setor.

A associação recentemente criada por produtores vitivinícolas do Alentejo, a APROVESA, nasceu com o objetivo de “fazer valer os interesses da região vitivinícola”.

A Associação de Vinhos e Espirituosas do Alentejo (APROVESA), fundada por nove produtores vitivinícolas do Alentejo, representa “um terço de todo o vinho certificado produzido na região”, contou à Lusa o presidente José Miguel de Almeida, e integra produtores reconhecidos da região.

José Miguel de Almeida explicou que a APROVESA, cujos primeiros órgãos sociais tomaram posse no dia 5 de abril em Évora, “nasce com o objetivo de fazer valer os interesses da região vitivinícola.”

As adegas Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito, de Borba e de Redondo, as cooperativas CARMIM (de Reguengos de Monsaraz) e da Granja, a empresa Encostas do Alqueva, a Fundação Eugénio de Almeida, a Quinta do Quetzal e a Herdade das Servas são os nove fundadores da associação.

Em comunicado, a APROVESA lembrou que o Alentejo é “líder na venda de vinhos engarrafados em Portugal, com mais de duas centenas de produtores de vinho, passando a associação a representar cerca de um terço de todo o vinho certificado na região”.

O presidente destacou que “A associação, uma vez que reúne um leque variado de produtores e conhece todas as realidades do setor vitivinícola do Alentejo, pode fazer valer os interesses da região junto das entidades onde venha a ter palco.” , e  acrescentou, “Trata-se, portanto, de representar conjuntamente produtores de cooperativa, mas também privados, que são em grande número na região, junto de entidades como a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana ou o próprio Instituto da Vinha e do Vinho.”

APROVESA

O também presidente da Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito lembrou ainda que é preciso ter “consciência de que existe um plano estratégico para a região, ou seja, daquilo que o Alentejo e os produtores querem ter do ponto de vista vitivinícola”. E a melhor forma de arranjar um caminho comum para a região é através de uma associação que integre produtores de diversas dimensões e realidades.”

O líder da APROVESA destacou como um dos objetivos da associação “aumentar o número de associados para conseguir uma representatividade cada vez mais robusta deste importantíssimo setor da economia da região”, frisando também que “O contexto que vivemos atualmente obriga-nos, cada vez mais, a um reforço do trabalho em rede.

José Miguel de Almeida, recordou os desafios enfrentados pelos pequenos produtores, afirmando que “a escalada de preços dos fatores que permitem a produção do vinho tem sido muito significativa de semana para semana, uma situação que tem a ver com a própria guerra e não só, porque já havia uma escalada de preços a acontecer anteriormente à própria guerra.”

Imagens: Adega Cooperativa da Vidigueira