//Alterar o sabor dos alimentos para «atrair» os jovens

Alterar o sabor dos alimentos para «atrair» os jovens

Investigadora portuguesa afirma que “em regra os jovens não comem certos alimentos precisamente por causa do seu sabor, sobretudo os legumes”.

Susana Soares, investigadora do projeto FoodNanoSense, desenvolvido na Universidade do Porto afirmou ao DN que “alterar o sabor dos alimentos, como legumes e frutas”, pode tornar a alimentação dos jovens portugueses, mais saudável.

A investigadora defende que o objetivo de fazer uma variação do sabor, nem que seja de sumos de vegetais ou frutos, poderá constituir um caminho para que esses alimentos passem a integrar a alimentação dos jovens.

O objetivo do projeto FoodNanoSense é, precisamente, estudar as propriedades que compõem determinados alimentos e bebidas, com o objetivo de os tornar mais apetecíveis ao paladar, de forma a aumentar o seu consumo. A investigadora do Departamento de Química da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), defende que “o sabor dos alimentos é a chave na escolha do consumidor”, e sabendo que a sensação de palato varia de pessoa para pessoa, o objetivo final deste projeto – que está na fase de testes – é fazer com que um alimento agrade a um maior número de pessoas.

Susana Soares explicou ainda que é preciso perceber quais os compostos e de que forma dão origem a propriedades sensoriais menos agradáveis, pois só assim “podemos desenvolver mecanismos para modificar a sua presença”.

A investigadora vai mais longe na sua explicação e lembra que há alimentos que têm sabor amargo ou adstringência, que causa secura e sensação áspera ao serem ingeridos, apresentando-se desagradáveis. No entanto, muitos desses alimentos são também “nutracêuticos, têm benefícios nos seus nutrientes e capacidades farmacêuticas”. O objetivo é perceber de que forma esses compostos causam sensações desagradáveis ao paladar, para que possa desenvolver-se uma forma de alterar esses sabores e torná-los apetecíveis.

Susana Soares não coloca de parte a possibilidade de a modelação do sabor dos alimentos poder provocar algumas alterações, nomeadamente perda de nutrientes ou mesmo alteração da textura, no próprio alimento. Mas “isso também terá que ser avaliado por um painel de provadores”.

Fonte: DN (Sílvia Freches)