//Algarve – Morgados de Figo (Albufeira)

Algarve – Morgados de Figo (Albufeira)

Bolo à base de figo e amêndoa, sendo predominante o sabor do figo.

Bolo de outono, o Morgado de Figo é confecionado na base da amêndoa e figos secos, por todo o Algarve, sendo no concelho de Albufeira onde se encontra mais vulgarizado.

Desde a Antiguidade Clássica que estes frutos são conhecidos dos povos peninsulares. Plínio, autor romano do séc. I, diz que na Lusitânia, pelo bem temperado clima, os frutos nunca se arruinavam e já havia quem vendesse um talento de figos a três bolos, o mesmo que um cordeiro. A mitologia grega é muito rica em lendas associadas a espécies vegetais. A figueira, por exemplo, terá sido oferecida aos Atenienses por Demeter, que a fez brotar do solo, como por encanto.

Platão terá recebido a alcunha de Filósidas – o amigo dos figos. Por sua vez Xerxes, rei dos Persas, ao tomar conhecimento das referências gastronómicas de Atheneu em relação aos figos secos, decidiu invadir e conquistar o país originário de semelhante iguaria. Os árabes eram excelentes lavradores e a amendoeira cultivavam-na alternando com as piteiras e palmas.

Na Idade Média, no Algarve, a atividade mais lucrativa era a venda de figos, uvas e amêndoas, que depois de secos e preparados eram exportados para a Flandres e Inglaterra. O figo, seco sobretudo, era já consumido intensamente pelas populações do algarve, como nos testemunha Frei João de S. José, no séc. XVI: “O figo é bom mantimento em especial para os do Algarve; que o tem já em costume e serve muitas vezes em lugar de pão a gente dos montes, e dos pobres;”

Apesar de muito divulgado, o figo não era ainda aproveitado no fabrico de bolos nem doces devido ao elevado preço do açúcar. Só a partir dos séc. XVII e XVIII é que a doçaria portuguesa conhece a fama, como está bem patente no livro de receitas da Infanta D. Maria, neta de D. Manuel I de Portugal.

O Morgado de Figo dever-se-à ter divulgado a partir dos séculos XVIII ou mesmo XIX, quando produtos como a canela e o chocolate, com que é confecionado, já se tinham vulgarizado junto das populações algarvias. Era no entanto, um bolo de cerimónia, enfeitado com fitinhas em franja branca de papel de seda, que se oferecia ao médico, ao prior ou ao morgado… para agradecer a honra da visita ou de algum préstimo.

Ingredientes para 32 bolos

500grs figos secos; 500grs amêndoa com ou sem pele, 500grs açúcar; 2dl de água; 50grs de chocolate ou cacau em pó; 3grs de erva-doce; 1 limão; q.b. açúcar em pó ou poderá utilizar também açúcar lustro.

Decoração: Drageias de cor. Papel de sede, cristalino/celofane.

Preparação

Pesar e torrar levemente os figos e a amêndoa. Picar os figos e moer na máquina a amêndoa. Pesar o açúcar, medir a água e juntar dentro dum caçarolete de cobre. Pesar o chocolate ou o cacau, a erva doce e ligar no mesmo caçarolete. Higienizar o limão e retirar algumas tiras de casca deitando-as no mesmo caçarolete. Levar ao lume o caçarolete com os ingredientes até obter ponto de cabelo (160ºC). Ligar a amêndoa e deixar cozer durante 5 minutos. Mexer sempre com a colher. Ligar de seguida o figo e deixar cozer durante 5 minutos. Deixar arrefecer a massa.

Deitar a massa numa mesa polvilhada de açúcar, com o auxílio de um cincho de folha ou uma tira de papel grosso e comprimir bem. Pintar o “Morgado de Figo”, após completo arrefecimento, com calda de açúcar lustro ou açúcar em pó misturado com água, ficando assim uma superfície de açúcar muito fina. Decorar com drageias de cor. Contornar com franjinhas brancas de papel de seda, cristal ou celofane e servir.

 

Valor Nutricional

Valor calórico total da receita: 6,600kcal.

Distribuição da composição nutricional: 7% proteína; 37% lípidos; 54% hidratos de carbono.

Valor calórico por porção de 50grs: 137 calorias.

 

In: A Cultura Gastronómica em Portugal – Edição do Centro de Formação Profissional do Setor Alimentar

 

Considerações Gerais: Os hidratos de carbono e as gorduras são os fornecedores de energia por excelência. Escalonando os alimentos fornecedores de hidratos de carbono, podemos dizer que o figo é um grande fornecedor desse ingrediente. Assim, os figos secos bem como as compotas de fruta, o pão de trigo ou de centeio, têm cerca de 60% de hidratos de carbono em relação ao seu peso.

 

Harmonização : Morgados de Figo 

Harmonização sugerida pelos Vinhos de Lisboa – Adega Cooperativa da Lourinhã Aguardente Vínica XO 29.ª série

Muitos defendem a degustação das aguardentes a solo, sobretudo devido às suas propriedades digestivas. Porém, o morgado de figo, doce típico de Albufeira, que combina o fruto da figueira com as amêndoas, é de experimentar com esta aguardente vínica Extra Old, um clássico, repleto de notas de frutos secos, nuances de figo e ligeiros aromas a especiarias. Tudo boas razões para experimentar esta ligação.

morgados de figo

 

Site deste produtor: www.doc-lourinha.pt

 

Patrocínio

 

Transcrição integral da receita publicada em ‘A Cultura Gastronómica em Portugal’, editada em 1995 pelo Centro de Formação Profissional do Setor Alimentar (CFPSA).
Os 10 volumes foram dedicados às regiões: Minho e Douro Litoral – Trás-os-Montes – Beira Litoral – Beira Interior – Ribatejo – Estremadura – Alentejo – Algarve – Açores – Madeira