//Adega de Monção com faturação ‘histórica’

Adega de Monção com faturação ‘histórica’

Faturação de 14,5 milhões de euros representa um aumento de 8% em volume de vendas e 27% nas exportações.

À agência Lusa os responsáveis pela Adega Cooperativa de Monção consideraram este resultado uma “faturação histórica” revelando sublinhando o facto de em 2017 os vinhos produzidos por esta adega terem entrado no mercado chinês e ainda o crescimento de vendas na Rússia que atingiu os 225% “onde o exponencial de crescimento é enorme”, acrescentaram.

Naquela que é a adega com maior número de sócios (1.600) e também maior produtor de vinho da sub-região Monção Melgaço, em 2017, foram produzidos seis milhões de garrafas de vinho verde.

Na nota enviada à Lusa, a adega de Monção dá conta da aprovação da candidatura que apresentou em janeiro ao Regime de Apoio à Reestruturação de Vinhas (VITIS) no valor de mais de 350 mil euros, para a renovação de uma área de vinha na ordem dos 30 hectares.

Com a aprovação daquela candidatura, “irá seguir-se a fase da reconversão das vinhas, com o arranque de vinhas de diferentes castas e a replantação das castas Alvarinho, Trajadura e Vinhão”, refere a nota divulgada. “Com este apoio, agora concedido, será possível renovar a paisagem vitícola da sub-região Monção e Melgaço e, por conseguinte, aumentar a produtividade das vinhas e o rendimento dos viticultores”, acrescentam.

A adega de Monção, situada em plena Região Demarcada dos Vinhos Verdes, na sub-região de Monção e Melgaço, à qual foi reconhecido o uso exclusivo da designação de “Vinho Verde Alvarinho”, exporta para a Europa, África, América do Norte e do Sul.

A instituição integra a rede de Pequenas e Médias Empresas (PME) inovadoras da COTEC, resultado da aposta nas tecnologias modernas empregues na vinificação”.

 

Fonte: Lusa

Foto: Adriminho