//16 de janeiro: Dia da Comida Picante
comida picante

16 de janeiro: Dia da Comida Picante

Benéfico para artrites, emagrecimento, aparência da pele, sistema cardiovascular e até para o ‘amor’.

A 16 de janeiro assinala-se o Dia Internacional da Comida Picante em vários pontos do mundo.
India, Vietname, Sri Lanka, Perú, México, Brasil (sobretudo na Bahia) são alguns países onde se pode encontrar comida picante entre a oferta culinária.

Em Portugal não existe uma grande tradição, mas quem já foi aos Açores decerto não resistiu a provar queijo com pimenta da terra. Na verdade a ‘pimenta’ nos Açores é aquilo a que a maioria dos ‘continentais’ chama malagueta.
No Brasil, a pimenta preta é conhecida como pimenta do reino e as malaguetas são pimentas.

Seja qual for a designação, a verdade é que a comida picante – sem excessos, como tudo – pode ser benéfica. Vejamos alguns exemplos:

Os benefícios das malaguetas ou pimentas devem-se à “capsaicina”, que é um composto ativo também usado para tratar artrites que funciona também como analgésico.

Um estudo efetuado em 2015 com cerca de 500.000 chineses durante mais de 7 anos concluiu que quem consome picante pelo menos 3 vezes por semana reduz em 14% o risco de morte, em comparação com quem não o faz.

dia da comida picante

Entre as várias pesquisas efetuadas há quem tenha concluído que a comida picante pode ajudar a emagrecer já que, quando a ingerimos, aumentamos o consumo de energia do corpo.

Também pode melhorar a aparência da pele. Ao comer picante o organismo normalmente começa a suar, o que ajuda a abrir os poros e melhorar a aparência da pele.

Contrariamente ao que algumas pessoas pensam, a comida picante não provoca gastrite pois existem estudos que provam que proteger a mucosa gástrica. Diferente será, se já existirem problemas deste tipo.

Também são atribuídos à comida picante benefícios relacionados com o sistema cardiovascular. Quanto ao coração no sentido da paixão, ou se quisermos, na vertente afrodisíaca, sabe-se que causam uma maior atividade metabólica em geral, o que aumenta o calor corporal e a sensação de bem-estar.
Neste caso, recomenda-se pouco picante e muita, mas mesmo muita, fantasia.

E há aquela história do namorado que romanticamente levou a amada a um restaurante de comida super picante e ficou muito emocionado porque ela passou o jantar a chorar. E ele, emocionado, atribuiu o facto ao pressentimento dela, de que ele a iria pedir em casamento.

 

Leia também: