Vinho português para a China pode valer 135 milhões em 2020

A China está a ‘acordar’ para o mundo dos vinhos, mas franceses e italianos ainda dominam. Portugal já vende 14,2 milhões mas o potencial é imenso.

É verdade que “vinho, para os chineses, é sinónimo de França” mas é preciso ter em conta que “há muito tempo que os franceses apostaram na China e criaram aqui uma imagem de qualidade” afirma Steffany Zhang, da Guangzhou Anjubao Wine & Spirits. Para justificar esta realidade Steffany lembra que “há poucas empresas portuguesas a virem à China promover os seus vinhos e os importadores e distribuidores chineses não saem de cá”.

Steffany decidiu dedicar-se à importação de vinhos há um ano depois de ter vindo a Portugal “ao casamento de um amigo, e levaram-nos a uma prova de vinhos. Não sabia nada de vinhos, mas tudo o que provei me pareceu infinitamente melhor do que o que bebia na China”.

Decidiu importar vinhos portugueses e a primeira compra que fez foi um contentor de vinho do Porto Barros e atualmente já trabalha com franceses, alemães, australianos, espanhóis e italianos, bem como com produtores dos Verdes, Douro, Dão, Bairrada e Alentejo.

Curioso é o comentário de Steffany: “nós não vendemos vinho, vendemos histórias e os vinhos portugueses têm imensos prémios em concursos internacionais e não dão isso a conhecer”, afirma.

Quem também já conta com um importador na China é a Casa Ermelinda Freitas. Da empresa de Palmela diz Ming Sze, diretor geral da Oriental Pearl: “gosto muito de trabalhar com eles, são muito eficientes”, diz, sublinhando que são vinhos “muito aromáticos” e pelos quais o consumidor “está disponível para pagar”. Começou por comprar um vinho, hoje já compra seis diferentes.

Rita Jia, organizadora da Interwine é da opinião que “a China não consegue entender Portugal. Precisamos muito de educação e de branding, para promover o país. Queremos ajudar a mudar a perceção dos vinhos portugueses, mas isso tem que estar assente na promoção, intensa, da marca Portugal como país produtor de vinhos”, frisa.
A responsável pela feira internacional de vinhos apresentou ao Governo português um plano de branding e marketing para aumentar as exportações nacionais para 135 milhões já em 2020. Uma meta “ambiciosa” mas “exequível”, garante.

Portugal exportou, em 2015, 14,2 milhões de euros de vinho para a China. Um aumento de 48%. Este ano, e até março, o crescimento foi de 38,5%.

1,8 mil milhões de euros é o valor das importações chinesas de vinho engarrafado em 2015, mais 34% do que no ano anterior.

Fonte: Dinheiro Vivo

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *