//Vinha do Contador Grande Júri 2011

Vinha do Contador Grande Júri 2011

Vinho do Paço dos Cunhas de Santar foi apresentado e submetido à prova de um painel de críticos, jornalistas, sommerliers e Master of Wine, nacionais e internacionais.

Esta foi a primeira vez que uma empresa deste setor “arriscou” submeter um vinho à apreciação dos críticos, antes de o mesmo chegar ao mercado.
Com duas designações de rotulagem em cima da mesa, este néctar acabou por ostentar o nome de Vinha do Contador Grande Júri pelo facto ter atingido os 95,3 pontos, superando os 94 pontos colocados como fasquia ao painel de provadores. O desafio foi ultrapassado com distinção, com a Global Wines a levar assim para o mercado um vinho de excecional qualidade, comprovada e validada por um júri onde se encontravam referências mundiais, como Charles Metcalfe, a Master Wine canadiana Lynn Coulthard, o crítico brasileiro Alexandre Lalas ou a asiática Mabel Lai, da Hong Kong Wine Academy. Refira-se que este evento ira repetir-se sempre que uma colheita de excecional qualidade coloque dúvidas na Global Wines. Nesta situação, a empresa recorrerá sempre a um painel de críticos para serem eles a julgar o vinho.
O Vinha do Contador Grande Júri, que foi criado pela mestria do enólogo Osvaldo Amado, é um tinto proveniente das castas Touriga Nacional, Aragonez e Alfrocheiro, sendo o resultado da colheita de 2011. Estagiou dezoito meses em barricas novas de carvalho francês, assumindo-se como um vinho de recorte mundial que, segundo os especialistas presentes na prova, conta com uma grande margem de evolução em garrafa.

Este evento, que teve lugar no belíssimo espaço do Paço dos Cunhas de Santar, na histórica vila de Santar, contou ainda com a apresentação de mais duas referências icónicas do portfólio da Global Wines.
O ‘Paço dos Cunhas de Santar Vinha do Contador Branco 2014’, também ele um branco excepcional é proveniente das castas Encruzado, Malvasia Fina e Cerceal Branco tendo estagiado em barricas de carvalho francês com battonage durante doze meses.
As novidades não se ficaram por aqui. Foi também apresentado o ‘Paço dos Cunhas de Santar Vinha do Contador Aguardente Vínica Velha’, que nasce a partir de vinhos criteriosamente vinificados para a produção de aguardentes, tendo envelhecido em barricas de carvalho limousine durante mais de vinte anos. Esta é uma aguardente elegante, de cor âmbar, definida com ligeiros tons esverdeados, aroma complexo, notas frutadas, predominante em madeiras exóticas, grãos torrados, frutos secos e praliné. Na boca apresenta-se macio, distinto, crocante e de longa persistência.

Para a Global Wines, ”este foi um momento único e que pretende marcar a história dos vinhos em Portugal, uma vez que nunca nenhum produtor se expôs desta maneira”, lembrando que este é um vinho que irá fazer as delícias de todos os wine lovers, não obstante a sua exclusividade. É que se trata de uma edição limitada a 5200 garrafas, sendo que apenas 1.000 são destinadas ao mercado nacional, com um PVP previsto de 90 euros, e as restantes para clientes internacionais e alguns coleccionadores privados além-fronteiras. “É um vinho extraordinário, raro, proveniente de uma das mais antigas e icónicas propriedades do Dão, o Paço dos Cunhas de Santar. Estamos certos de que será uma verdadeira estrela na garrafeira dos apreciadores mais exigentes”, frisam os responsáveis da Global Wines.

Informação da empresa