Vencedores do concurso de fotografia «Soalheiro»

A Quinta de Soalheiro viu, através destes trabalhos, a valorização do seu terroir e por isso vai expor a partir de janeiro 2017 na adega em Melgaço as mais de 50 fotografias que estiveram a concurso.

Já são conhecidos os vencedores do concurso de fotografia «Terroir único, terroir soalheiro», promovido pela Quinta de Soalheiro. A fotografia intitulada ‘Mundo’ de autoria de Carlos Elísio conquistou o primeiro lugar. O 2º lugar foi atribuído à fotografia ‘Vassalagem à serra’ de Lídia Faria. No 3ª lugar deu-se um empate técnico pelo que foram atribuir dois prémios: um à fotografia ‘O Segredo do Néctar’ de Carolina Macedo e outro à fotografia ‘Contra-luz outonal’ de Lídia Faria. A marca acolheu com prazer a visita dos amantes da fotografia e deixa a porta aberta para que mais apaixonados pela fotografia visitem a quinta e seu terroir. A Quinta de Soalheiro viu, através destes trabalhos, a valorização do seu terroir e por isso vai expor as mais de 50 fotografias que estiveram a concurso na Sala de Provas da adega em Melgaço. A exposição arrancará em janeiro de 2017 e ficará patente nos primeiros seis meses do ano.

14-1O papel do júri não foi fácil, cerca de meia centena de fotografias estiveram a concurso e mostraram as belezas do terroir da sub-região de Monção e Melgaço (DO Vinho Verde), dos pormenores desta terra mãe que faz do alvarinho que ali nasce algo único. A avaliação foi feita por Manoel Batista, Presidente da Câmara Municipal de Melgaço, Manuel Pinheiro, Presidente da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes; Ana Rodrigues do Vale, Diretora da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Anabela Trindade, fotografa “oficial” Soalheiro e Luís Cerdeira, da Quinta de Soalheiro.

O concurso destinava-se a todos os fotógrafos amadores e profissionais, bem como alunos de escolas da especialidade e afins e tinha como objetivo valorizar a fotografia como forma de expressão artística, valorizar o terroir da região e a sua biodiversidade, valorizar o terroir Soalheiro, onde nasceu a primeira marca de alvarinho de Melgaço, promover a paisagem vitícola e a temática associada ao alvarinho (terra, vinha, vinificação, envelhecimento, casta, vinho, enoturismo, etc.), estimular a criatividade e contribuir para a valorização e projeção da região e da casta alvarinho.

Quinta de Soalheiro, um registo familiar

Foi nos anos 70, nomeadamente em 1974, que João António Cerdeira, com o apoio de seu pai, António Esteves Ferreira, plantou a primeira vinha de Alvarinho, criando, em 1982, a primeira marca de Alvarinho em Melgaço. A Quinta de Soalheiro tem um perfil profundamente familiar cuja dedicação aos vinhos se expressa em vinhos elegantes e vibrantes, sendo atualmente Maria Palmira Cerdeira e seus filhos, Maria João Cerdeira e António Luís Cerdeira, a orientar os trabalhos.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *