Vai ser criada «rede de aldeias vinhateiras»

3.1A Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV) aprovou, em reunião do concelho directivo realizada recentemente em Palmela, a criação de uma rede nacional de aldeias vinhateiras, que deverá reforçar a oferta turística que já existe no sector do vinho em diversos pontos do país.

“Esta rede tem como objectivo procurar financiamentos comunitários para criarmos a possibilidade de se visitar as seis aldeias que já estão constituídas na zona do Douro, mas também outras aldeias vinhateiras um pouco por todo o país”, disse à Lusa José Arruda, secretário-geral da AMPV, associação que representa sete dezenas de municípios do continente e ilhas.

“Existem aldeias em que o tema do vinho é importante em termos sociais, culturais e económicos. Esperamos ter cerca de uma centena de aldeias vinhateiras dentro de dois ou três anos. O que nós queremos é construir essa rede e introduzi-la no mercado do turismo”, acrescentou José Arruda.

O secretário-geral falava à Lusa após uma reunião em que foi aprovada a candidatura à presidência da Rede Europeia das Cidades do Vinho (RECEVIN), a admissão dos municípios de Arcos de Valdevez (Vinhos Verdes) e Carregal do Sal (Dão) e o regresso do município de Arruda dos Vinhos (Lisboa).

“Temos a noção de que, cada vez mais, o vinho tem uma importância muito grande para as pessoas visitarem Portugal”, frisou José Arruda, salientando que a importância do vinho na promoção turística é reconhecida pela Organização Mundial de Turismo.

“Num estudo feito no ano passado pela Organização Mundial do Turismo, na questão colocada aos turistas sobre o motivo que os levava a visitar Portugal, o vinho foi um dos temas prioritários. Antes indicavam o sol e a praia”, disse o responsável da AMPV, destacando a importância do trabalho desenvolvido pela associação na última década.

O presidente da Câmara de Palmela, Álvaro Amaro, que também sublinhou a importância do setor na região e no país, anunciou a intenção do município palmelense de corresponder à estratégia da AMPV de valorização das aldeias vinhateiras e do enoturismo.

O autarca palmelense adiantou que a autarquia já apresentou o projeto «Centro Rural Vinho» na localidade de Fernando Pó, ideia recebida com entusiasmo pelos vitivinicultores e pela população local.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *