‘Top 100’ da Wine Spectator com 4 vinhos portugueses

Custa menos de 10 euros, um dos quatro vinhos portugueses entre os melhores do mundo, segundo a Wine Spectator.

Aquela que é uma das mais aguardadas listas vínicas, que apresenta o top 100 dos melhores vinhos do mundo, elaborado pela Wine Spectator, considerou o Quinta de Cabriz colheita de 2014, o melhor dos quatro vinhos portugueses incluídos na lista. O vinho da região do Dão, com um preço ligeiramente acima dos 9 euros, ficou na 46ª posição.

Este ano, ao contrário do que aconteceu em 2014, Portugal não vê nenhum vinho pontuado entre os 10 primeiros. Assim, para além do já referido Quinta de Cabriz, que Kim Marcus, editor da Wine Spectator, diz possuir “sabores concentrados de cereja escura, ameixa assada e framboesa seca”, assinala-sea presença de três vinhos do Alto Douro Vinhateiro.

Na 50ª posição encontra-se o Evel 2014 tinto (cerca de 12€) da Real Companhia Velha, na 69º posição o Carm Reserva tinto de 2012 (cerca de 20€) a que se segue-se o Lemos & van Zeller Quinta Vale D. Maria de 2013 (64€), na 80º posição.

Duas das empresas com vinhos nesta lista fizeram chegar as seguintes declarações:

Evel

“Se em 2015 o eleito foi o ‘Porca de Murça tinto 2013’, este ano é a vez do ‘Evel tinto 2014’ integrar a exclusiva e tão disputada lista dos 100 melhores vinhos do mundo desta prestigiada revista norte-americana. Se é “no meio [que] está a virtude” é lá que vigora este centenário néctar do Douro, ao ocupar a 50.ª posição do ranking, com 90 pontos e um preço de venda ao público a rondar os 13 dólares nos Estados Unidos da América”.

Evel é uma das mais antigas e carismáticas marcas de vinho em Portugal, tendo sido registada em 1913.A curiosidade do seu nome fantasia provém do facto de não ter um significado próprio, para além daquele que resulta da leitura do seu anagrama: Leve.

CARM

Por sua vez, a CARM lembra que “ a qualidade do Carm Reserva tinto 2012 não passou despercebida ao exigente Kim Marcus, afamado Editor da Wine Spectator, que atribuiu a este vinho 91 pontos em 100, considerando-o ao mesmo tempo uma “Smart Buy”.

O reconhecido vinho do Douro é produzido a partir das melhores castas da região: Tinta Roriz, Touriga Franca e Touriga Nacional, e é descrito na conceituada revista norte-americana como “suave e rico, com um toque cremoso”, sendo aconselhando o seu consumo “desde já e até 2020”.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *