//‘Terras da Chanfana’ já é marca registada

‘Terras da Chanfana’ já é marca registada

Quatro municípios querem ‘rentabilizar’ a eleição como uma das ‘7 Maravilhas à Mesa’.

Vila Nova de Poiares, Lousã, Miranda do Corvo e Penela são os quatro municípios que lançaram um projeto com a marca ‘Terras da Chanfana’, para promoção conjunta deste território do interior do distrito de Coimbra.

A Chanfana, iguaria confecionada com carne de cabra (de preferência velha) cozinhada no forno em vinho tinto, em caçoilos de barro preto, vai dar o mote para um conjunto de iniciativas promovidas pelos municípios e pela Associação de Desenvolvimento do Ceira e Dueça (DUECEIRA).

Luís Antunes, presidente desta associação e da Câmara da Lousã, declarou que o objetivo é “valorizar os recursos endógenos” desta região através da marca agora registada, que permitirá reforçar “um trabalho em rede de envolvimento dos agentes públicos e privados” em cada um dos municípios.

Recorde-se que a ‘Terras da Chanfana’ foi declarada uma das ‘7 Maravilhas à Mesa’ reunindo produtos como, para além da Chanfana, o Licor Beirão e mel da Serra da Lousã e o queijo do Rabaçal (Penela), entre outros.

Luís Antunes, respondendo a uma pergunta da agência Lusa, assumiu que a certificação da chanfana é também “um objetivo que está bem identificado nesta estratégia”, enquanto os restantes presidentes de câmara sublinharam a necessidade da cooperação para melhorar o resultado final conjunto da promoção da marca e do território, assumindo que a marca ‘Terras da Chanfana’ terá que se impor como “um selo de qualidade”.

A Agenda Gastronómica do primeiro semestre de 2019, apresentada pela DUECEIRA, abre com o jantar temático Sabores das Terras da Chanfana, em Penela, no dia 08 de Janeiro, a que se segue a Semana da Chanfana de Vila Nova de Poiares, de 11 a 21 do mesmo mês.

De 22 de Fevereiro a 03 de Março, a Lousã acolhe o Festival Gastronómico da Chanfana, enquanto Miranda do Corvo organiza a Semana da Chanfana, entre os dias 25 de Abril e 05 de maio.

Além das autarquias e da DUECEIRA, estas realizações gastronómicas deverão envolver as associações empresariais, as confrarias gastronómicas e báquicas locais e os restaurantes aderentes.