Tabernas do Alentejo – arte e ciência.

Projeto apoiado pelo OPP vai promover tertúlias itinerantes para percorrer as terras vínicas do Alentejo. Cultura e Tauromaquia são temas dos projetos nacionais mais votados.

O Orçamento Participativo Portugal (OPP), iniciativa do Governo que reservou 3 milhões de euros para projetos apresentados pelos cidadãos, vai apoiar, na componente regional, a proposta de Carlos A Cupeto, de Évora, «Tabernas do Alentejo – arte e ciência», que tem por lema “O vinho é a única obra de arte que se pode beber” e vai promover a realização de tertúlias itinerantes para valorizar o vinho.

Com um orçamento de 72.200€ e uma duração prevista de 12 meses, este projeto, de acordo com a candidatura, propõe-se:
– “Contribuir para a conscientização cidadã da importância cultural do vinho, designadamente através da disseminação de saberes úteis e boas práticas; trazer o vinho, a sua cultura/tradição e ciência à conversa; realização de um pequeno filme em cada sessão, com o objetivo de otimizar a disseminação e perpetuar o evento; edição de uma publicação bilingue, documentada com imagens, que sintetize as sessões realizadas; elaboração de uma plataforma colaborativa on line aberta a todos os atores e cidadãos que constitua um verdadeiro repositório de informação útil”.

Na apresentação da candidatura o autor apresenta, entre outros, os seguintes argumentos:
– “Como em tudo o resto o “cada um por si” não é a melhor opção, no Alentejo há muito para fazer, o produto tem que se estruturar como região vínica, muitos dos que estão fora têm que estar dentro (a oferta tem que ser conhecida e acessível), têm que se formar pessoas que saibam transmitir toda a história e conhecimento à volta do vinho (não basta dizer umas generalidades, os turistas são cada vez mais exigentes e querem experienciar e saber tudo o que for possível, já que mais não seja para contar nos jantares com os amigos), toda a região tem que dizer alguma coisa, os media locais/regionais têm um papel muito importante na criação de cultura e na divulgação e o setor deve considera-los. O Alentejo, enquanto território vinícola, distingue-se positivamente das restantes regiões, em quantidade, qualidade e tradição. O “sabor deste lugar” onde vivemos está no vinho como em nenhum outro alimento”.
O projecto nacional mais votado é uma iniciativa denominada “Cultura para todos”, que pretende promover a troca de livros e inclui a entrega de um cheque cultura a cada jovem de 18 anos.

O segundo projecto de âmbito nacional mais votado, com menos de mil votos de diferença do primeiro, pretende fazer um inventário das actividades taurinas e registá-las no inventário nacional de Património Cultural Imaterial de Portugal (PCI).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *