Sal no vinho, no café e na alimentação em geral

Uma ‘pitada’ de sal para melhorar o vinho. Ou sal para realçar o sabor do café. Mas o consumo excessivo de sal é um dos maiores perigos para a saúde pública em Portugal

De acordo com o “Wall Street Journal”, Nathan Myhrvold, um ex-diretor de tecnologia da Microsoft, descobriu que adicionar alguns grãos de sal ao seu copo suaviza e equilibra o sabor.

O jornal acrescenta que Myhrvold usou esta técnica pela primeira vez há alguns anos, durante um jantar em que tinha a seu lado Gina Gallo, da produtora australiana de vinhos E. & J. Gallo Winery. Não só a sua companheira de mesa gostou como “em pouco tempo todos na mesa estavam a fazer o mesmo”.

Sal no café

Temos que reconhecer que a experiência do sal no vinho faz «torcer o nariz». Mas uma outra, desta vez publicada recentemente na revista Visão e suportada por um estudo publicado na revista científica ‘Nature’, revela que o sal pode anular o amargo e realçar o sabor do café.

Aqui temos, portanto, o sal a mostrar-se um bom aliado para atenuar os sabores que nos são menos agradáveis.

Certamente que fazer a experiência, apenas poderá trazer o desperdício de uma pequena quantidade de vinho ou café. Mas o mesmo não se poderá dizer se não controlar as quantidades de sal a usar…

…na alimentação em geral

6.1Um estudo do Departamento de Alimentação e Nutrição (DAN) do Instituto Ricardo Jorge permitiu concluir que em Portugal o sal em excesso na alimentação é uma realidade identificada.

A Organização Mundial da Saúde recomenda 2 g de sódio/dia (5 g de sal/dia), mas verifica-se que o consumo de 100 g de um prato composto ou de um produto à base de cereais (pão/bolacha de água e sal) pode representar cerca de 30% da ingestão diária de sal e o consumo de 100 g de produtos da pesca e invertebrados (conquilhas/ameijoas/caracóis) pode representar cerca 50% da ingestão diária de sal.

O consumo excessivo de sal pela população é um dos maiores perigos para a saúde pública em Portugal, tornando-se urgente propor medidas para a sua redução. Relativamente ao conteúdo de sal na alimentação, sabe-se que 75% do sódio necessário provém dos próprios alimentos e que a adição de sal de mesa às refeições já confecionadas deverá ser um dos principais pontos de intervenção, uma vez que o sal de mesa contém 30% de sódio.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *