//Saborear a ‘F.da à Monção’

Saborear a ‘F.da à Monção’

A Confraria da Foda e a Junta de Freguesia de Pias, promovem um certame gastronómico de promoção desta iguaria.

Trata-se, na verdade, de uma especialidade gastronómica, o Cordeiro à Moda de Monção que é, naquele concelho minhoto, designado popularmente ‘Foda à Monção.’

Este é um prato confecionado com carne de cordeiro feito em forno a lenha que se tornou, “desde há vários anos, uma referência na gastronomia monçanense”, como refere a autarquia, e que deve o seu nome peculiar a uma tradição antiga da população.

Assim, vai ter lugar na sede da freguesia de Pias, no concelho de Monção, entre 29 e 31 de março, a III edição da ‘Feira da Foda’ que é apresentada como uma atividade com o objetivo de contribuir para “a manutenção da qualidade e a garantia da genuinidade deste prato com história e tradição no concelho de Monção.”

Durante a ‘Feira da Foda’ há degustação do ‘Cordeiro à Moda de Monção, acompanhado por vinhos da região com a presença de produtores, artesanato regional, demonstrações de tosquias e muita animação popular com ranchos folclóricos, grupos de bombos e concertinas.

No último dia do evento será realizado o III Capítulo de Entronização (de novos confrades) da Confraria da Foda.

A Génese da Foda

Reza a história, que há muito tempo, os habitantes do burgo, que não possuíam rebanhos, se dirigiam às feiras para comprarem o animal pretendido. Na feira, havia de tudo, gado bom e menos bom. A verdade é que os criadores e contratadores de rês, quando levavam o seu gado ovino para a feira, tinham como objetivo vendê-lo pelo melhor preço e, para que aparentassem gordos, era prática colocar sal na forragem, fato que obrigava o gado a beber muita água.
Na feira, o gado aparecia com a barriga cheia de água e pesados, parecendo realmente bem tratados, muito gordos. Os incautos, que não tinham conhecimento da ‘manha’ compravam aqueles autênticos ‘balões de água’ e, quando se apercebiam do logro, exclamavam à boa maneira minhota: “Que grande Foda!”

O termo –Foda – foi-se vulgarizando, ao longo do tempo, e o prato passou a designar-se, por Foda. De tal forma, que é frequente pelas alturas festivas (Páscoa, Santos Padroeiros, Corpo de Deus, Senhora das Dores ou Fim do Ano) ouvir as mulheres minhotas exclamarem: “Ó Maria, já meteste a Foda?”, ou seja, já confecionaste o cordeiro à moda de Monção, em alguidar de barro, levado ao forno aquecido a lenha.

Foto: Confraria da Foda