//’Revolta do Bacalhau’

’Revolta do Bacalhau’

Final da 15.º edição da Revolta do Bacalhau reuniu três chefes com 4 estrelas Michelin.

O primeiro lugar na Categoria de Profissionais foi atribuído ao Chefe Miguel Marques, do The Yeatman Hotel, que apostou num Bacalhau salgado seco da Noruega escondido na couve-flor. O Chefe Jeferson Dias, do Restaurante Bon Bon, foi distinguido com o 2.º lugar com o seu Bacalhau salgado seco da Noruega em memória de mão de vaca e grão. O 3.º lugar coube ao Chefe Pedro Rodrigues, do Fifty Seconds by Martin Berasategui, que preparou um Bacalhau salgado seco da Noruega, do passado ao presente.

A categoria Estudantes foi vencida por Ruben Cardoso (Dual Qualificação Profissional), com uma Açorda de Bacalhau Aromatizado com Dill. Os Grelos de Bacalhau valeram o 2.º lugar a Marcos Sousa (Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve), enquanto o 3.º lugar foi atribuído a Bruna Ferreira (Escola Profissional do Vale do Tejo) com o Bacalhau Seco Salgado da Noruega e as Texturas do Mundo.

Durante esta final foram também atribuídos os Diplomas de Ouro e de Prata aos 30 melhores Restaurantes a concurso, uma categoria que foi ganha pelo restaurante Granada em São Martinho do Porto. A atribuição de prémios competiu ao Júri presidido, desde a primeira edição, pelo chefe Hélio Loureiro e composto por chefes de cozinha portugueses conceituados como João Oliveira, Rui Silvestre, Joana Duarte e António Nobre.

Nesta final foram também anunciadas as novidades para a próxima edição, sobressaindo a nova imagem e a vontade de captar públicos mais abrangentes e de levar a «Revolta do Bacalhau» a mais pessoas, com acções inovadoras.
Criada pelo Recheio e pelo NSC – Conselho Norueguês dos Produtos do Mar, a “Revolta do Bacalhau” premeia a criatividade e qualidade dos melhores chefes, estudantes de cozinha e restaurantes portugueses, desafiando-os a criarem receitas para o tradicional bacalhau da Noruega. Com o Bacalhau Salgado Seco da Noruega como protagonista, a Final Nacional da Revolta do Bacalhau assinala um ano do concurso que desafiou chefs e restaurantes renomados, assim como jovens talentos a pensarem em novas receitas para Bacalhau. Para além do concurso de receitas, a “Revolta do Bacalhau” integrou showcookings nas lojas Recheio, por todo o país.

O Vencedor

Miguel Marques já tinha tido outros contactos com concursos de culinária. Apesar de ter adorado a experiência, sentiu que a sua performance ficou aquém do seu verdadeiro valor e, como tal, decidiu concorrer à Revolta do Bacalhau. Dedicado a mostrar todo o potencial do bacalhau, despertando os cinco sentidos através das suas confecções, e conseguir o título de vencedor.

O cozinheiro do The Yeatman conta com uma passagem pelo Vila Joya no seu currículo e encara esta competição como mais uma hipótese de crescimento, tanto pessoal como profissional.