Recriação histórica nas vindimas em Oeiras

Figurantes trajados à época recriaram uma vindima do séc. XVIII que acontece agora «no meio» de prédios de habitação.

Repetiu-se a tradicional ‘Festa da Vindima’ que leva muitos populares aos 12,5 hectares de vinha situada na ex-Estação Agronómica Nacional, em Oeiras. Trata-se do encerramento da colheita das uvas que contribuem para manter a produção do famoso vinho Carcavelos, neste caso, o Villa Oeiras, produzido pela Câmara Municipal deste concelho.

4-1Aberta à população de hoje, a edição deste ano contou com «figurantes de antigamente» que através de uma recriação histórica ‘transportaram’ os presentes para o séc. XVIII.

O objetivo era (e efetivamente foi) proporcionar aos participantes uma «viagem no tempo», remetendo os participantes para o ambiente do que se passava no início da produção do vinho de Carcavelos, na original Quinta de Cima do Conde de Oeiras e Marquês de Pombal.

Na vinha colheram-se as uvas e as aguadeiras distribuíram água em bilhas de barro. Os cachos seguiram depois, em carroça puxada por uma
parelha de bois, para a adega do Casal da Manteiga, onde se fez a pisa da uva numa selha de madeira.

Das uvas colhidas nos 12,5 hectares distribuídos por quatro parcelas de vinha ao cuidado da Câmara Municipal de Oeiras, resultam normalmente cerca de 50 mil litros de vinho Carcavelos, um valor que deverá sofrer uma quebra de 10% este ano.

Existem atualmente cerca de 600 pipas de 225 litros deste vinho cuja colheita de 2004 vai entrar brevemente no mercado. Os verdadeiros apreciadores podem preparar-se para, dentro em breve, terem acesso a um Carcavelos de 20 anos.

Aos jornalistas presentes e outros convidados foi proporcionada uma prova de vinhos, brilhantemente apresentada por Nelson Guerreiro da Enoteca de Belém, com apresentação de vinhos representativos da Rota de Vinhos de Bucelas, Carcavelos e Colares.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *