//Queijo de Maçussa

Queijo de Maçussa

Os verdadeiros apreciadores de queijo mas, sobretudo, os que gostam de chèvre, já ouviram falar, certamente, do Queijo de Maçussa.

Trata-se de um queijo de pasta mole e sabor intenso, de origem francesa, o único produzido feito artesanalmente em Portugal com leite de cabra. Para a sua identificação, usa o nome da aldeia de Maçussa, no concelho de Azambuja.

O queijo designado “Granja dos Moinhos” é produzido numa pequena empresa criada em 1977 por Adolfo Henriques, na qual trabalham regularmente três pessoas, numas antigas instalações agrícolas que já pertenciam à família. Lançar-se neste nicho não foi tarefa fácil.

Para manusear os bolores, teve de frequentar um curso no Laboratório Nacional de Engenharia e Tecnologia Industrial, que ainda hoje o apoia através do fornecimento de fermentos lácteos. Depois, importou um pequeno rebanho de cabras suíças da raça Saanen para lhe fornecerem o leite, mas atualmente adquire-o também a vários produtores da região.

Para dar alguma visibilidade ao seu queijo, Adolfo Henriques contou com a colaboração do chefe Michel, que criou uma entrada cujo principal ingrediente era justamente o Chèvre “Granja dos Moinhos”. Depois, aos poucos, foi sendo reconhecido e hoje o Queijo de Maçussa pode encontrar-se à venda nas mais prestigiadas lojas de artigos de alimentação.

Em 2007, para assinalar os 30 anos da sua empresa familiar de fabrico de queijos, Adolfo Henriques realizou um sonho: lançou o livro de receitas “Puro Chèvre – receitas com queijo de cabra “Granja dos Moinhos”, no qual colaboraram sessenta chefes, cujas criações incluem, como ingrediente, o Queijo de Maçussa, o que constitui uma clara demonstração do reconhecimento nacional já alcançado por este produto regional.

Este é, seguramente, mais um exemplo de como a dedicação, o empenho e o rigor permitiram criar em Portugal este produto de excelência, valorizando a atividade rural e os sabores genuínos, usando técnicas de produção cujo resultado final rivaliza com o melhor chèvre originário do sul de França.

Texto e fotos: Livro ‘Os Sabores de nossa Terra’: APRODER -Associação para a Promoção do Desenvolvimento Rural do Ribatejo.