Preço do «ouro branco» não vai baixar

BPIx8TEm 2014, um quilo de pinhão valia cerca de 120 euros junto do consumidor. Este ano o preço deverá manter-se.

A época da apanha de pinhas verdes e pinhões iniciou-se a 1 de dezembro, lembra a União da Floresta Mediterrânica (UNAC), que prevê que o preço do chamado “ouro branco” se mantenha estável, ou seja, próximo dos 120 euros por kilo, registados em 2014.

A colheita, transporte, armazenamento, transformação, importação e exportação de pinhas são fiscalizadas pelo Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Em Portugal o número de pinhas por quilo ronda as 2 a 4. No geral o rendimento de pinha/miolo de pinhão tem-se situado sempre entre os 3,5 e os 4,2%. Estes dados, da UNAC, são sustentados pelo levantamento dos rendimentos das pinhas e pinhões nos últimos 18 anos junto de duas das principais indústrias transformadoras (Preparadora de Pinhões e António Pais Lda).

Este ano, acrescenta a UNAC, numa amostra de cerca de 759 kg de pinha verde foi obtido um rendimento médio da pinha em miolo de pinhão de 3,32%, com um valor mínimo de 2,60% e um valor máximo de 3,83%. Este resultado de rendimento médio da pinha em miolo de pinhão de 3,32% está dentro dos valores históricos considerados normais, entre 3,0% e 4,0%. A UNAC conclui, portanto, que “não é justificável que o rendimento da pinha em miolo de pinhão seja utilizado como um factor de depreciação do preço de mercado da pinha”.

Em 2015, o regime jurídico que regula a apanha de pinhas e pinhões de pinheiros mansos foi alterado pelo Decreto-Lei n. 77/2015, de 12 de maio. Nos termos desta lei, é permitida a colheita de pinhas de pinheiro manso a partir do dia 1 de Dezembro (inclusive) até ao dia 31 de Março de cada ano civil. Nos restantes meses do ano (desde Abril a Novembro) é proibida a colheita de pinhas de pinheiro manso.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *