Portugueses compram mais vinho

KulnAlCrescimento de 2,7% nas vendas de vinho, o equivalente a 13 milhões de euros.

De acordo com o Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), registou-se um crescimento de 2,7% nas vendas de vinho efetuadas no total dos canais da distribuição (hiper e supermercados) e Horeca (Hotéis, restaurantes e cafés) nos primeiros nove meses do ano, o equivalente a 13 milhões de euros.

A informação do IVV refere que no canal Horeca se verificou uma diminuição global da quantidade (-1,20%), mas um ligeiro aumento do valor de vendas (1,46%), para o qual contribuiu um aumento no preço médio de 2,7%, para 5,86 euros/litro. Os vinhos do Alentejo reforçaram a sua quota de vendas em volume na distribuição e Horeca, de 18,9% entre janeiro e setembro de 2014, para 20,1% no mesmo período deste ano, protagonizando assim o maior crescimento. Também em valor, os vinhos desta região lideram, reforçando a sua quota para 25,6%, seguidos pelos vinhos do Minho com quota de 10,3%. Para o crítico de vinhos João Paulo Martins, autor do Guia Vinhos de Portugal 2016, e profundo conhecedor do mercado, importa destacar a consolidação do Alentejo como região preferida dos portugueses, o Minho em segundo e o Douro que terá ultrapassado ligeiramente Setúbal.

No que se refere à diminuição do preço por unidade, João Paulo Martins diz que tem a ver com o “enorme peso que a grande distribuição tem na marcação dos preços, o que leva aos esmagamentos das margens ao produtor – o que também se verifica noutros ramos, não só nos vinhos.” Destacando que o Alentejo há já muito tempo que é líder, embora na restauração o Douro tenha também um peso grande, a ideia é: “bom e barato é no Alentejo e vinhos mais sofisticados, com mais caráter e história para contar são no Douro. Acontece que regiões como Lisboa e Tejo também produzem bom e barato mas têm muita dificuldade em penetrar nas escolhas do consumidor.”

Fonte: Dinheiro Vivo