Portugal com maior produção de azeite dos últimos 50 anos

Em 2015 foram produzidas 765 mil toneladas de azeitonas para azeite, um valor que é o mais alto dos últimos 50 anos, segundo o INE.

As 765 mil toneladas colhidas no ano passado representam um valor 75% acima do que foi registado em 2014 e é o terceiro mais alto dos últimos 75 anos pois só noutras duas ocasiões – uma nos anos 1950 e outra nos anos 1960 – é que a produção de azeitona para azeite foi mais alta.

Mas estes resultados positivos só foram possíveis pela existência de novos olivais intensivos, sobretudo a sul do país, que não sofreram os resultados da falta de chuva, uma vez que possuem sistemas de rega, o que não acontece nos olivais tradicionais. Não se registou, portanto, uma produção regionalmente uniforme, com menores quantidades no interior norte e centro e melhores resultados no sul, em especial no Alentejo, que reestruturou o sistema produtivo da azeitona, passando a olival intensivo.

Mais azeite e de maior qualidade

O facto de a produção ter sido concentrada nos olivais intensivos, que são plantados com variedades muito produtivas e equipados com sistemas de rega, como explica o INE, permitiu ainda que a “pressão de doenças criptogâmicas” fosse “relativamente reduzida”, permitindo que os olivais regados “pudessem alcançar todo o seu potencial produtivo”. Por isso se prevê “a melhor campanha das últimas cinco décadas”.

Portugal é o quarto maior exportador mundial de azeite, numa tabela que é liderada pela Tunísia. Segundo o Financial Times, devido à baixa produção de Itália – a mais baixa dos últimos 25 anos – os preços do azeite estão a subir em média 20% na Europa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *