Portugal cumpre sustentabilidade na pesca

6olWuLA propósito de notícias publicadas sobre um estudo da Global Footprint Network relativo à pegada ecológica do consumo de peixe, a Fileira do Pescado presta esclarecimentos.

Eis os esclarecimentos da Fileira do Pescado:

Portugal cumpre escrupulosamente os compromissos assumidos na Política Comum de Pescas, no sentido de garantir a sustentabilidade dos recursos, o que se traduz no respeito pelos valores de RMS (Rendimento Máximo Sustentável) definido para cada espécie;

A produção comunitária é realizada de acordo com limites de captura anuais – TACs e quotas – fixados de acordo com pareceres científicos de forma a garantir a sustentabilidade das pescas;

Segundo relatório da União Europeia, as diversas espécies capturadas pelas frotas desta região respeitam a sustentabilidade dos recursos;

Todo o pescado consumido em Portugal, inclusive o proveniente do Canadá e Noruega, que dispõem dos melhores sistemas de gestão dos recursos do mundo, estão dentro dos limites de sustentabilidade:

Das capturas de pescado produzidas pelas frotas da União Europeia a grande maioria já se encontra dentro dos limites fixados para garantir o RMS;

As capturas que provêm de países fora da U.E. são obrigatoriamente acompanhadas de certificados de captura emitidos pelas entidades oficiais dos países de origem, cuja finalidade é garantir que essas capturas foram realizadas no respeito pela sustentabilidade. Estes certificados são também controlados pela Direcção Geral das Alfândegas e Direcção Geral da Pesca, em cada país da União Eureopeia, caso contrário a sua entrada não é permitida;

Consumir peixe não só é saudável, como está rigorosamente controlado e supervisionado, através das regras definidas nas políticas de sustentabilidade da União Europeia, resumidas na Carta de Sustentabilidade das Pescarias Portuguesas.

Um estudo do World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), que compara o impacto ambiental da aquacultura com os impactos ambientais de outros sectores de produção animal, revela que o consumo de Pescado é fundamental para sustentabilidade ambiental.

O peixe converte uma maior proporção dos alimentos que consome em massa corporal, se comparado com outros animais. A produção de 1kg de proteína de peixe requer cerca de 13,5 kg de cereais, enquanto a produção de 1kg de proteína de bovinos requer 61,1 kg de cereais e, no caso da proteína de suínos, 38 kg. – Sandra Castro e Moura, especialista em Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa.

Ao optar por consumir pescado em alternativa a outras fontes proteicas animais, o consumidor demonstra um comportamento ambientalmente consciente e, consumindo pescado produzido e/ou capturado em Portugal está a evitar, por exemplo, o transporte de longas distâncias, reduzindo ainda mais as emissões de Gases com Efeito de Estufa.

Com vista à diminuição da Pegada de Carbono, a indústria do pescado nacional tem por objetivo melhorias estratégicas no seu desempenho, entre elas a seleção da técnica de pesca, a otimização da refrigeração e a procura de rações alternativas para aquacultura. Estas estratégias abrem caminho à diminuição dos custos de produção e valorizam as empresas num mercado cada vez mais global e consciente do ponto de vista ambiental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *