Península de Setúbal: 41 vinhos premiados

A Adega de Pegões, com dez vinhos premiados, e a Casa Ermelinda Freitas, com oito, foram as empresas que mais troféus arrecadaram no XVI Concurso de Vinhos da Península de Setúbal,

Foram 41 os vinhos premiados no XVI Concurso de Vinhos da Península de Setúbal. Os resultados foram revelados no passado dia 5 de maio. São 13 medalhas de ouro e 28 medalhas de prata. Dos vinhos medalhados emergiram ainda cinco distinções de Melhor Vinho a concurso nas categorias Branco, Rosado, Tinto, Generoso e Melhor Vinho – o mais pontuado nesta edição. O Concurso de Vinhos da Península de Setúbal é organizado anualmente pela Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRPS) e este ano recebeu 133 amostras para prova, de 18 produtores da região.

O Moscatel Roxo de Setúbal SIVIPA Superior 10 Anos, da SIVIPA Soc. Vinícola de Palmela, arrecadou os títulos de Melhor Vinho e Melhor Vinho Generoso e partilha os desejados troféus com os vinhos tranquilos Quinta Do Monte Alegre, Alicante Bouschet 2013 – Melhor Vinho Tinto – da Fernando Santana Pereira, o Adega de Pegões Colheita Seleccionada 2014 – Melhor Vinho Branco – da Adega de Pegões, e o Terras do Pó 2015 – Melhor Vinho Rosado – da Casa Ermelinda Freitas.

O júri, composto por técnicos das várias regiões vitivinícolas portuguesas, Associação Portuguesa de Enologia, Associação de Escanções de Portugal e ASAE, imprensa da especialidade e representantes da restauração, num total de 22 provadores, esteve dois dias em provas na Casa Mãe da Rota dos Vinhos da Península de Setúbal, em Palmela.

Para Henrique Soares, Presidente da CVRPS, ‘este é um ano particularmente especial para a Região (CVRPS) que celebra 25 anos de atividade. A maturidade da região é notória e a XVI edição do concurso testemunha isso mesmo e é mais um incentivo à produção de vinhos de qualidade e à promoção junto do consumidor. O balanço deste primeiro quarto de século da região, segundo o enquadramento da União Europeia (109 anos segundo a lei portuguesa) é altamente positivo, a produção dos vinhos certificados (Moscatel de Setúbal, Moscatel Roxo de Setúbal, Vinhos de Palmela e Vinhos da Península de Setúbal) aproxima-se dos 30 milhões de litros e de há 4 anos que se traduz na certificação de mais de 70% da produção total da região. Este é um dado absolutamente eloquente quanto ao investimento e á aposta na qualidade por parte das empresas vitivinícolas desta região!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *