Origem do leite já é obrigatória nos rótulos

Leite, queijo, requeijão, iogurte, manteiga ou natas passam a ter no rótulo, a partir de 1 de julho, a informação – obrigatória – sobre os países da ordenha e da transformação do produto.

Recorde-se que no passado dia 23 de janeiro, em Bruxelas o ministro da Agricultura anunciou ter recebido autorização da União Europeia para aprovar um diploma que torna obrigatório que o leite e os produtos lácteos tenham nas embalagens a menção de origem portuguesa.

Desta forma, Portugal tornou-se no segundo Estado-membro da UE, depois da França, a adotar esta medida, que necessita de autorização comunitária.

O novo regime da composição, rotulagem e comercialização do leite e derivados, publicado em Diário da República em 9 de junho, especifica ainda que o leite com origem nos arquipélagos dos Açores e da Madeira, “opcionalmente”, a seguir à menção do nome do país, pode ter também o nome da região autónoma.

Em finais de abril, quando o diploma foi aprovado pelo Conselho de Ministros, o ministro da Agricultura, Capoulas Santos, salientou o duplo objetivo do novo regime: “Dar mais informação aos consumidores para poderem fazer as suas escolhas com base em informação que não mereça dúvidas de legalidade e de credibilidade e, por outro lado, garantir com isso que os produtos portugueses possam ser reconhecidos como tal em qualquer parte do mundo”.

A origem do leite, queijo, requeijão, iogurte, manteiga ou nata passa, portanto, a ser obrigatória nos rótulos, informando o consumidor sobre os países da ordenha e da transformação do produto.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *