Novos ícones da gastronomia local minhota

logo acores

Um por cada concelho da região de Viana do Castelo, os dez novos ícones da cozinha local já estão nas mesas minhotas.

São cerca de duas centenas de restaurantes do distrito de Viana do Castelo que estão a servir as dez novas propostas culinárias criadas no âmbito do programa «Prove Taste Alto Minho».

“Nós hoje apresentamos a quem visita o Alto Minho propostas que fazem uma boa combinação entre tradição e modernidade, e é isso que os visitantes procuram”, afirmou o responsável da Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo (APHORT), Condé Pinto.

Os dez novos pratos, que resultam de cerca de um ano de trabalho promovido pela Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, em parceria com APHORT, foram apresentados em Ponte de Lima. Condé Pinto afirmou, na ocasião, que O «Prove Taste Alto Minho» pretende “dar visibilidade e reconhecimento à gastronomia do Alto Minho, através da dinamização de um projeto que promova os novos sabores da gastronomia local e regional, procurando desenvolver em cada concelho um novo prato que seja um símbolo da gastronomia local”.

O responsável associativo acrescentou ainda que se conseguiu “combinar nestes dez pratos elementos da tradição e da cultura da região, produtos locais, alguns esquecidos e inovação”.

Espetada do Brutus, de Ponte de Lima; Cachena à Recontro, de Arcos de Valdevez; Bife de Presunto, de Melgaço; Lombelo à São Jorge, de Monção; Naco à Terras da Nóbrega, de Ponte da Barca; Robalo à Bela Marinheira, de Caminha; Bacalhau à Viana; Veado à Dom Dinis, de Vila Nova de Cerveira; Bacalhau à Contrasta, de Valença; e Segredos do Celeiro, de Paredes de Coura, são as novas propostas gastronómicas.

“Dizemos com algum atrevimento que se iniciou aqui a nova gastronomia do Alto Minho que dentro de 50 anos será considerada a gastronomia tradicional dessa época”, afirmou Condé Pinto.

“Falar num prato podia melindrar outro. Estão todos arrolados. Uns têm uma característica outros têm outra, uns têm uma história, outros têm outra”, apontou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *