Município de Palmela subscreve Pacto de Milão

A Câmara Municipal de Palmela aprovou recentemente, por unanimidade, a proposta de subscrição do Pacto de Milão sobre políticas alimentares urbanas, lançado pelo Município de Milão, por ocasião da Expo Milão de 2015 “Alimentando o Planeta, Energia para a Vida”.

O Plano de Ação Municipal, agora aprovado, e que materializa este compromisso, integra iniciativas nas áreas da produção alimentar, dietas e nutrição sustentáveis, igualdade social e económica, circuitos curtos de comercialização agroalimentar e desperdício alimentar, entre outras, nomeadamente, as Hortas Comunitárias, mercados locais, o Dia da Agricultura e do Mundo Rural, o Regime de Fruta Escolar, as iniciativas da ADREPES – Cabaz Prove, Cabaz do Peixe e Da Quinta para o Prato – ou a promoção de dietas sustentáveis nos refeitórios escolares.

O Pacto pretende envolver o maior número possível de cidades e autarquias locais no desenvolvimento de sistemas alimentares baseados nos princípios da sustentabilidade e justiça civil e conta com o apoio institucional de várias entidades e agências das Nações Unidas, incluindo a Organização da Nações Unidas para a Alimentação (FAO), a Fundação RAUF – Resourse Centers on Urban Agriculture e Food Security e o Comité das Regiões da União Europeia.

A OIKOS – Cooperação e Desenvolvimento, em parceria com a Direção-Geral de Saúde, o Instituto Superior de Agronomia e a Fundação Calouste Gulbenkian, entre outros, são os promotores, em Portugal, da dinamização e subscrição junto das autarquias locais, comunidades intermunicipais e áreas metropolitanas, do Pacto de Milão.

Pacto de Milão

O Pacto de Milão sobre Política de Alimentação Urbana é um dos mais importantes legados da Expo Milão 2015 que começou em Maio de 2015. Nesta Expo que decorreu sob o mote “Alimentando o Planeta, Energia para a Vida”, foi assinado, no dia 15 de Outubro de 2015, um Pacto que pretende envolver o maior número possível de Cidades e Autoridades Locais de todo o mundo no desenvolvimento de sistemas alimentares baseados nos princípios da sustentabilidade e da justiça social. Este compromisso para a coordenação de políticas alimentares internacionais foi subscrito por cerca de 100 Presidentes de Câmara de todo o Mundo. Lamentavelmente, nenhuma Cidade ou Município Portugueses se encontra entre os subscritores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *