Medronhal com a primeira certificação de produção do mundo

Uma exploração florestal de 20 hectares, no concelho de Penacova é o “primeiro medronhal de produção certificado do mundo”, disse o promotor da iniciativa.

O biólogo Carlos Fonseca é o proprietário de várias parcelas, onde começa, no próximo outono, a produzir medronhos destinados ao mercado de frutos frescos, em São Pedro de Alva, naquele município do distrito de Coimbra.

Em 2013, este professor da Universidade de Aveiro criou a Medronhalva, empresa que tem como atividade principal a cultura do medronheiro, tendo em vista a sua valorização económica, social, ecológica e cultural.

“Atualmente, a empresa gere 20 hectares de medronhal, sendo que cerca de 10 hectares são plantações ordenadas e outros tantos hectares são medronhais espontâneos, devidamente conduzidos, tendo em vista a produção de fruto de qualidade e de outros produtos”, revelou Carlos Fonseca.

A gestão destes medronhais “é pautada por elevados patamares de exigência e rigor sob o ponto de vista da sua sustentabilidade ambiental, económica e social”, garantiu o biólogo que é também presidente da Cooperativa Portuguesa de Medronho, com sede em Proença-a-Nova, fundada há três anos.

Essas propriedades silvícolas, nas encostas sobranceiras ao rio Alva, afluente do Mondego, passam a constituir “o primeiro medronhal do mundo para produção de fruto a obter um certificado florestal”, garantiu Carlos Fonseca.

O produtor lembrou ainda que esta espécie arbustiva da floresta mediterrânica “contribui grandemente para a biodiversidade” e a prevenção dos incêndios, enquanto o seu cultivo permite “dinamizar o mercado de trabalho local” e produzir um fruto com “alto valor para o uso múltiplo da floresta”.

Fonte: Lusa

Foto: Medronhalva

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *