Macau com exposição de sabores lusófonos

Macau tem 400 m2 de exposição de sabores lusófonos

Em Macau, o Centro de Exposição dos Produtos Alimentares dos Países de Língua Portuguesa, abriu oficialmente portas no início de Abril.

Funcionando em complementaridade com a base de dados de produtos alimentares lusófonos, no portal de cooperação do IPIM, a nova estrutura permitirá aos empresários conhecer de perto os produtos e realizar imediatamente encomendas ou entrar em contacto directo com os produtores ou fornecedores.

Num espaço com cerca de 390 metros quadrados, estão para já em exposição mais de 700 produtos, mas a ideia é ir aumentando a variedade e o número. Tratam-se dos produtos já presentes na base de dados de produtos alimentares lusófonos no portal para a cooperação – www.platformchinaplp.mo –  lançado em abril do ano passado. “Este centro de exposição de produtos alimentares dos países de língua portuguesa é a extensão offline daquele portal”, explicou Glória Batalha Ung, vogal executiva do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM).

A mostra de produtos alimentares em exposição é variada e inclui cereais naturais e refinados, petiscos, conservas, café, vinho e licores, lacticínios, sumos de frutas, condimentos e especiarias, doces, massas, bolachas, entre outros. Cada produto exposto tem um código QR que pode ser lido com um telemóvel com acesso à Internet, remetendo imediatamente para a ficha de informação com detalhes sobre o produtor ou o distribuidor: “Os empresários, a partir de agora, vêm cá ter, vêem de perto os produtos e podem logo fazer uma encomenda através da plataforma online, ou obter a informação e contacto dos produtores e fornecedores respectivos, com vista a uma negociação directa”, esclareceu. Glória Batalha Ung acrescenta que o interesse da iniciativa não se restringia ao âmbito empresarial: “Mesmo o consumidor local individual pode perfeitamente vir conhecer os produtos e encomendar online, mesmo em pequenas quantidades, e receber directamente em casa”, explica.

Macau é “zona-piloto especial para Portugal”

A inauguração do Centro de Exposição dos Produtos Alimentares dos Países de Língua Portuguesa foi saudada, em particular, pelo embaixador de Portugal em Pequim, Jorge Torres Pereira, presente na cerimónia. Em declarações ao PONTO FINAL, o diplomata destacou as vantagens que os empresários portugueses podem obter de ter Macau como plataforma de contacto com a China: “É evidente que Macau significa facilitação, como é evidente nesta clara aposta no casamento entre a exposição de produtos físicos e a plataforma online. Vejamos como esta experiência vai funcionar. Macau, como plataforma, é uma zona-piloto especial para tudo aquilo que queremos fazer na China”, considera.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *