Herdade do Freixo apresentou adega subterrânea

Uma adega a 40 metros de profundidade numa herdade com300 hectares de paisagem alentejana, em pleno equilíbrio com o ecossistema e com as vinhas, a 450 metros de altitude.

A Adega subterrânea, a 40 metros de profundidade, tem três pisos, cobertos apenas pelas vinhas, onde cada pormenor foi materializado com um traço arrojado de extraordinária beleza; ao mesmo tempo que deixa espaço para as mais modernas tecnologias de vinificação.

A Adega conta, ainda, com uma sublime cave de barricas para o estágio dos vinhos e com um espaço de recepção para pequenos grupos, provas e refeições, suspenso e integrado em todo o ambiente vínico. O investimento em tecnologia de autonomia energética não foi esquecido, o objetivo de preservar ao máximo a natureza esteve sempre presente.

A Herdade do Freixo estende-se ao longo de 300 hectares, património de Pedro Vasconcellos e Souza. Localizada no nordeste Alentejano, entre a Serra D’Ossa e Évora, no concelho do Redondo, é a Aldeia do Freixo que lhe empresta o nome. Nesta propriedade impera o respeito pela natureza: são preservados os habitats das espécies migratórias e da raríssima Cegonha Preta; há, ainda, um espólio de oliveiras milenares dispersas por toda a herdade, que surpreendem pela sua singularidade e imponência. Destaca-se, também, o património arqueológico, associado à presença de monumentos megalíticos e vestígios da época romana. É pois, com toda a naturalidade, que Pedro Vasconcellos e Souza tem como grande ambição a preservação genuína da paisagem rural e que os seus vinhos transmitam “o melhor da essência da sua terra, das suas vinhas e do terroir, resultando numa grande concentração, persistência e simultaneamente uma frescura e longevidade diferenciadora para os vinhos da região”, destacou.

Há sete anos atrás, foram plantadas castas selecionadas nos 26 hectares de vinhas: Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon, Alicante Bouschet, Petit Verdot e Syrah para tintos; e as castas brancas Arinto, Sauvignon Blanc, Alvarinho, Chardonnay, Riesling. A viticultura está a cargo de Amândio Cruz, estando já em curso a preparação dos terrenos para a plantação de mais nove hectares em 2017, que reforçam o encepamento atual, somando um total de 23 hectares de vinha com castas tintas e 12 hectares de vinha com castas brancas.

Erguer uma adega a 450 metros de altitude, com vista de 360º sobre Alentejo puro era algo de impensável para o mentor do projeto. Após um longo processo de seleção, foi Frederico Valssassina que se lançou ao desafio fazendo nascer uma adega única em Portugal e no mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *