Genes ‘dizem’ qual a dieta ideal

Descoberta científica revela que os genes dos seres vivos têm ‘inscrita’ informação para a dieta ideal.

A descoberta de vários cientistas, entre os quais portugueses, revela que foram encontrados nos genomas de animais, a proporção de cada aminoácido ideal para a sua alimentação

No estudo publicado na revista científica Cell Metabolism, a equipa afirma que as suas descobertas permitirão para já alimentar animais criados para consumo humano, como peixe ou gado, de forma mais saudável e eficaz.

Carlos Ribeiro, neurocientista da Fundação Champalimaud, afirmou à agência Lusa que as experiências feitas até agora em ratos e moscas, se analisou o genoma da mosca e do ratinho para descobrir a proporção de cada aminoácido (as 20 moléculas de cada proteína) ideal para a alimentação de cada espécie.

Como resultado da “dieta ideal completamente sintética” fez com que “os animais crescessem mais depressa, tivessem ossos melhores e não morressem tão cedo”, através da aplicação de um regime de aminoácidos.

Indústrias como a aquicultura ou a criação de gado, onde “se usam muitos suplementos alimentares” que fazem com que os animais comam “uma dieta desequilibrada” poderão ser as primeiras a conhecer a aplicação prática destes resultados.

3.1Questionado sobre uma aplicação humana, Carlos Ribeiro afirmou que nesta altura é absolutamente especulativo, mas admitiu que um dos caminhos para a investigação poderá ser a compreensão de como o corpo humano “está otimizado” para funcionar, e as implicações da dieta na evolução de certas doenças.

Outra das investigadoras do centro Champalimaud, Samantha Herbert, afirma que a “gelatina” proteica usada para experimentar a dieta ideal “poderia resultar com qualquer animal” mas duvidou que as pessoas estivessem dispostas a comê-la.

“Gosto de ser otimista, por isso, penso que talvez estejamos mais perto do que pensamos de conseguir desenvolver uma dieta ideal, que garanta a boa saúde das pessoas ao longo da sua vida”, ressalvou Samantha Herbert.

Fonte: Lusa

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *