//Fruta e Legumes para crianças do pré-escolar

Fruta e Legumes para crianças do pré-escolar

Vai ser alargado o Programa Nacional para a Alimentação Saudável. Mas no 1.º ciclo, as coisas não estão a correr bem.

O programa financiado pela União Europeia para distribuição de fruta e legumes nas escolas“ não está a ter o sucesso desejado”. Quem o reconheceu recentemente em declarações à Lusa foi Maria João Gregório, diretora do Programa Nacional para a Alimentação Saudável da Direção Geral de Saúde (DGS).

Agora que foi anunciado o alargamento ao pré-escolar, da distribuição de fruta e legumes nos lanches, que já estava a acontecer relativamente aos alunos do 1.º ciclo, ficou a saber-se que só no passado ano letivo, mais de 230 mil crianças ficaram de fora deste programa europeu de distribuição de fruta, legumes e leite nas escolas porque Portugal, dos 5,5 milhões de euros atribuídos, usou apenas 1,7 milhões.

A justificação para este facto prende-se com a não adesão da maioria dos municípios a este programa europeu destinado a criar bons hábitos alimentares e a combater a obesidade infantil, através do qual o lanche de todas as crianças do 1.º ciclo deveria incluir, duas vezes por semana, uma peça de fruta ou um legume.

Ainda de acordo com a agência Lusa, Maria João Gregório reconheceu que a iniciativa não “está a ter o sucesso desejado”, apesar de “estar bem desenhado” e ser “importantíssimo, já que permite a distribuição de alimentos com elevado valor nutricional”.

Já Filinto Lima, presidente da Associação de Directores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), reconheceu tratar-se de “ um programa muito importante, que ainda por cima é gratuito para as autarquias e para os cofres do Estado”.

A análise do ‘percurso’ deste programa revela que, quando o programa foi implementado, no ano letivo de 2009/2010, aderiram 154 autarquias, mas, sete anos depois, já só havia 114 autarquias envolvidas.