//Frigorífico bem arrumado

Frigorífico bem arrumado

Dicas e truques simples para arrumar o frigorífico de casa e tirar partido da ida ao supermercado.

Nos dias que correm, o planeamento das compras familiares ficou mais difícil para muitos portugueses, especialmente no que diz respeito aos alimentos frescos. Como conservá-los, de forma a reduzir a necessidade de nos deslocarmos ao supermercado tantas vezes, mantendo uma alimentação o mais saudável e rica possível? Parece uma questão difícil, mas a solução pode estar já dentro de casa e a LG explica como.

Parece não exigir grande ciência mas a verdade é que uma boa arrumação no compartimento certo pode ajudar a prolongar a frescura dos alimentos. Como? A LG reuniu algumas dicas práticas que serão certamente muito úteis para as famílias portuguesas.

Controlo da temperatura

É importante verificar algumas coisas antes de colocar os alimentos dentro do frigorífico: o espaço deve estar limpo e a temperatura deve-se situar entre os 0 e os 4 graus no frigorífico e nos 17 graus negativos no congelador. Assim, com temperaturas baixas e controladas, previne-se o aparecimento de bactérias e micróbios.

Circulação do ar

Os alimentos devem ter alguma distância entre si para que o ar circule. Se o ar não circular, a temperatura acaba por subir a um ambiente propício ao crescimento de bactérias que estragam os alimentos. Além disso, gasta-se mais energia e de nada vale poupar no supermercado se a conta da luz disparar.

Atenção às portas!

Pela sua exposição ao mundo exterior, as portas são as zonas mais quentes do frigorífico. Por isso, nunca se devem guardar aqui os alimentos mais sensíveis, como os ovos e os laticínios. Este é o espaço reservado aos alimentos mais resistentes, como os molhos, a água e os sumos. E, se quisermos ajudar um pouco o trabalho do frigorífico, também convém abrir as suas portas quando temos a certeza de que queremos algo de lá de dentro, mantendo-as abertas pelo mínimo de tempo possível e verificar que ficam bem fechadas após.

De cima para baixo

É nas prateleiras de cima que devemos guardar os alimentos prontos a comer, como as sobras do dia anterior, charcutaria, frutos silvestres e condimentos. Descendo uma ou duas prateleiras, encontramos a zona mais fria do frigorífico, reservada aos alimentos que se estragam mais facilmente, como os ovos, laticínios, carne e peixe.

Legumes na gaveta, mas…

Os legumes, vegetais e hortaliças requerem, provavelmente, a maior dedicação. Isto porque, apesar de serem muito sensíveis, há vários truques que podem ajudar a prolongar a sua frescura. Antes de tudo, devem ser lavados com água, para dissipar eventuais micróbios, e em seguida secos com uma toalha, de forma a não criar humidade. Depois, é uma boa ideia colocá-los dentro de sacos ou recipientes devidamente preparados cobrindo com uma folha de papel absorvente, afastando a humidade. Por fim, basta guardá-los nas gavetas bem limpas e secas, e ir mudando o papel.

Há, no entanto, uma lista de alimentos que, geralmente, colocamos neste grupo e que nem sempre carecem de frio, como o tomate, a fruta, a cebola e outros.

A tecnologia pode ser um grande aliado

A verdade é que, hoje em dia, graças a empresas como a LG, os frigoríficos contam com um conjunto de tecnologias que ajudam (e muito) a manter os alimentos nas condições corretas de conservação.