//Farrafuza

Farrafuza

A agricultura sempre ocupou um lugar importante no concelho da Moita, onde a terra e o rio se confundem. A hortaliça que se produzia no campo, tal como os tomates, as cebolas, as batatas, eram, por vezes, os ingredientes principais de alguns cozinhados, pois em qualquer horta podiam ser cultivados e estavam sempre à mão.

A Farrafuza é um exemplo dessa cozinha simples, económica e acessível e que, ainda hoje, é um prato muito apreciado. A sua receita foi passando oralmente de geração em geração e, por isso mesmo, pode ser confecionada de diferentes maneiras.

Ingredientes

Ovos; 0,5 kg de tomates; 2 dl azeite; 2 cebolas; den¬tes de alho; sal q.b.; pimenta q.b.

Preparação

Leva-se ao lume uma frigideira grande com as cebo¬las cortadas às rodelas e o azeite, até a cebola ficar translúcida. Juntam-se então os alhos bem picados. Os tomates devem ser antecipadamente pelados e limpos de pevides, após o que se cortam aos boca¬dos e se juntam à cebolada. Depois de tudo cozido, colocam-se os ovos a escalfar, por cima da tomatada. Deve ser acompanhado com batatas cozidas.

Harmonização vínica proposta pela CVR da Península de Setúbal

Porque este é um prato rico e complexo, pede também um vinho com essas características. Na Península de Setúbal, os vinhos são naturalmente ricos e complexos, frutos das castas plantadas e do microclima da zona. Ao explorar a margem sul do Sado, tal como na Península de Setúbal, não será di¬fícil encontrar um tinto frutado, com aromas de fruta preta e muito boa concentração, com taninos estru¬turados, mas não muito marcantes, que acompanha¬rá na perfeição este prato. Trincadeira, Aragonez e as Tourigas Nacional e Franca são as nossas sugestões.

Texto e fotos: Livro ‘Os Sabores da nossa Terra’: ADREPES – Associação para o Desenvolvimento Rural da Península de Setúbal.