Estima-se queda de 20% na produção de vinho

O Instituto da Vinha e do Vinho estima, devido ao clima desfavorável, uma queda de 20% na produção deste ano, face à anterior, para um volume de 5,6 milhões de hectolitros.

Em comunicado, o instituto explica que o clima foi a “causa principal” desta quebra, em particular no início do ciclo vegetativo da vinha, e que o Algarve foi a única região a manter a produção. Lisboa, Trás-os-Montes, Douro e Açores foram as regiões mais afetadas com uma quebra de produção superior a 25%.

“Se, por um lado, a meteorologia condicionou a produção de forma negativa, por outro está a favorecer a maturação das uvas”, refere o IVV naquele comunicado, acrescentando esperar uma “boa” qualidade dos vinhos na colheita deste ano, apesar da expectativa de quebra nos valores da produção.

As previsões do IVV, de uma redução de 20% na produção deste campanha, revelam uma quebra de 10% da produção quando comparada com a média das cinco últimas campanhas.
A campanha decorre desde o dia 01 de agosto de cada ano até 31 de Julho do ano seguinte.

Recorde-se que no ano passado, Portugal produziu mais de sete milhões de hectolitros de vinho, o que representou um aumento de 13% face à campanha anterior. Os dados oficiais apurados em janeiro ultrapassaram as expectativas do próprio IVV, que em agosto tinha previsto um aumento de cerca de 8%, para um volume total de 6,7 milhões de euros, na sequência da quebra registada no ano anterior.

Na verdade, foi o segundo ano consecutivo em que as previsões feitas antes da vindima pecaram por escassas. Já em 2014, a quebra na produção acabou por ser mais ligeira (-0.8%) justificada na altura com as baixas expectativas em Agosto e a chuva durante a época de colheita das uvas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *