Ensopado de enguias – «Passo a Passo»

O Ribatejo Norte é uma região cruzada por diversos rios, constituindo a bacia hidrográfica do Tejo, que tem como principais afluentes o rio Zêzere, o Nabão, o Alviela, o Almonda e o Ocreza. Esta abundância de cursos de água veio, desde cedo, definir a cultura e o modo de vida das populações, imprimindo no seu quotidiano a marca da borda de água. Por isso, a pesca e o transporte fluvial de pessoas e bens foram, durante gerações, as actividades principais de grande parte dos habitantes das povoações das margens dos rios, cuja alimentação era condicionada pelos recursos de que mais facilmente dispunham: o peixe do rio. A grande quantidade de enguias que, ainda hoje, sobem os rios, apesar dos diferentes obstáculos que se levantam à sua migração, fez surgir nas diferentes localidades situadas ao longo das margens várias formas de confeccionar este peixe, das quais se destaca o ensopado que, com pequenas variações, faz parte do receituário de toda esta zona.

Ingredientes

1,2 kg de enguias; 3 cebolas grandes; 1,5 dl de azeite; 750 g de tomate maduro; 2 dentes de alho; 1 folha de louro; 1 ramo de salsa; 1 colher de sopa de colorau; 2 dl de vinho branco; 2 pimentos; sal e pimenta q.b.; 300 g de fatias de pão duro frito em azeite ou torra¬do na altura.

Preparação
15.1
Amanham-se as enguias e cortam-se em bocados regulares. Temperam-se com sal. Cortam-se as cebolas em rodelas e alouram-se em azeite. Quando as cebolas estiverem bem louras, junta-se o tomate cortado em bocados grossos, os dentes de alho es¬magados, o louro, a salsa, o colorau, o sal e a pimen¬ta. Deixa-se refogar um pouco, junta-se os pimentos, o vinho branco e as enguias, envolvendo-as bem no refogado.
Serve-se sobre o pão frito ou torrado.

Vinho para acompanhar

Acompanhe com vinho branco estruturado, com estágio em madeira. Seleccione um da Região Tejo, terroir de eleição para os brancos portugueses.

O texto e a receita aqui apresentados e a foto final do «Passo a Passo» estão publicadas no Livro «Os Sabores da Nossa Terra» pela Adirn – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte.
A foto que acompanha este texto resulta do empratamento feito pela Escola Profissional de Hotelaria de Fátima após confeção de acordo com a receita tradicional.

VEJA A EXECUÇÃO DESTA RECEITA «PASSO A PASSO», na barra localizada no final da página do Jornal dos Sabores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *