Ensopado de Enguias (Lagoa de Óbidos)

A Lagoa de Óbidos é o sistema lagunar costeiro mais extenso da costa portuguesa. Faz fronteira terreste com o concelho das Caldas da Rainha, a norte, e com o concelho de Óbidos, a sul. A ligação da Lagoa ao mar é feita através de um canal localmente designado por “aberta”. Por ela entram numerosas espécies piscícolas que fazem da Lagoa o seu viveiro, mas também uma espécie migradora de grande valor comercial, a enguia, que escolhe para viver locais de águas bem oxigenadas e pouco frias, com fundos de areia ou lodosos. A pesca é praticada a bordo das bateiras, embarcações tradicionais com duas proas, fundo chato, movidas habitualmente à vara e utilizadas tanto pelos pescadores como pelos mariscadores, que usam diferentes artes conforme a espécie que pretendem capturar. Esta actividade piscatória e de marisqueio, que assume grande importância económica para as populações que vivem nas proximidades da Lagoa e que nela encontraram, desde sempre, parte do seu sustento, influenciou a tradição culinária das famílias que se dedicam há várias gerações à pesca, e que constitui também uma das marcas identitárias dos concelhos de Óbidos e das Caldas da Rainha. O Ensopado de Enguias é um dos pratos tradicionais da zona ribeirinha da Lagoa, no qual se destaca não apenas a qualidade do elemento principal, as enguias, como também o pão que, de acordo com a tradição, deve ser cozido em forno de lenha.

Ingredientes

1,2 kg de enguias; 3 cebolas; 1,5 dl de azeite; 750 g de tomate maduro; 1 dente de alho; folha de louro; 1 colher de sopa de colorau; 1,5 dl de vinho branco; 2 pimentos; 200 g de fatias de pão caseiro torrado; coentros; sal e pimenta q.b.

Preparação

Amanham-se as enguias, cortam-se em bocados regulares e temperam-se com sal. Cortam-se as ce-bolas em rodelas e alouram-se com o azeite. Quando as cebolas estiverem bem louras, junta-se o tomate cortado em rodelas grossas, o dente de alho esma-gado, o louro, a salsa, o colorau, o sal e a pimenta. Deixa-se refogar um pouco e introduzem-se as en-guias, envolvendo-as bem no refogado. Rega-se com o vinho branco e deixa-se cozer sobre lume brando. Dez minutos depois de levantar fervura, adicionam-se os pimentos cortados em tiras. Deixa-se o ensopado apurar e serve-se numa terrina sobre as fatias de pão caseiro torrado49.
Harmonização

Sugere-se os vinhos tintos DOC Óbidos, que apresentam cor entre rubi e granada, são frutados, encorpados, com um corpo e uma estrutura bastante agradável. São, em geral, vinhos macios e elegantes, com cor vermelha escura, sem ser opaco, e aromas de frutas vermelhas e maduras. Geralmente, apre-sentam-se com uma presença discreta de estágio em madeira, sem exageros. Vêm de uma zona perto do mar e protegida pelo Montejunto, com vinhas em chão de terra fértil e com muito sol.

O texto e a receita aqui apresentados e a foto final do «Passo a Passo» estão publicadas no Livro «Os Sabores da Nossa Terra» pela Associação para o Desenvolvimento e Promoção Rural do Oeste (LEADER OESTE).

A foto que acompanha este texto resulta do empratamento feito pela Escola de Hotelaria e Turismo de Caldas da Rainha após confeção de acordo com a receita tradicional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *