//Enoturismo.pt

Enoturismo.pt

Portugal vai ter, a partir de novembro, um sítio na internet com toda a oferta de enoturismo.

O projeto, que está a ser desenvolvido pela Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV) e pela Associação das Rotas dos Vinhos de Portugal (ARVP), foi anunciado no Congresso Europeu de Enoturismo que decorreu a 27 e 28 de junho em Torres Vedras.

O secretário-geral da AMPV, José Arruda, justificou esta iniciativa com o facto de não existir ainda “ um meio com uma oferta integrada de enoturismo, pelo que queremos responder a essa falha com uma apresentação por concelho e por região vitivinícola de tudo o que está relacionado, como adegas, museus, restaurantes, alojamentos e outros”, disse à agência Lusa, sublinhando que “o ‘site’ vai ajudar a promover o vinho e gastronomia nacionais e trazer mais riqueza para os territórios”.

O enoturismo.pt vai ser lançado em 07 de novembro, no Congresso de Enoturismo de Portugal, em Peso da Régua, no distrito de Vila Real.

Nuno Fazenda, do Turismo de Portugal, que participou também neste Congresso, considerou que “o enoturismo constitui uma excelente oportunidade de resposta à necessidade de desenvolvimento do interior”.

O representante do Turismo de Portugal assumiu que o organismo a que pertence tem como objetivo colocar Portugal como um dos principais destinos de Enoturismo a nível mundial. Para tal, anunciou a criação de uma plataforma (portugalwinetourism) vocacionada para a promoção externa deste produto turístico.

Um estudo realizado em 2016 pela Universidade de Aveiro para aquelas associações, a que a Lusa teve acesso, conclui que o enoturismo está em crescimento no país: os enoturistas passaram de 11,4 milhões em 2005 para 19,1 milhões em 2015.

Já Ivane Fávero, presidente da Aenotur, que organizou o congresso, adiantou à Lusa que, em todo o mundo, já existem empresas para as quais o enoturismo representa 70% da sua faturação.

“Há casos de empresas que vendem todos os seus vinhos ao balcão aos turistas e faturam com a venda de experiências, o que tem de ser incentivado, uma vez que, quando a produção não é tão boa, produção que só acontece uma vez por ano, podem contrabalançar o negócio com o enoturismo, que pode ser trabalhado todos os dias”, salientou.

Em Torres Vedras, José Calixto, presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, anunciou a realização da V Conferência Mundial de Enoturismo 2020, na sede daquele concelho alentejano, onde está prevista a apresentação da primeira Carta Mundial de Enoturismo.