//‘Demarcação da Bairrada – Um Percurso Atribulado’

‘Demarcação da Bairrada – Um Percurso Atribulado’

Obra foi apresentada em Lisboa, nos 40 anos da fundação da Confraria dos Enófilos da Bairrada.

Um dos momentos marcantes da cerimónia, que homenageou os seus Confrades de Honra entronizados nas últimas quatro décadas, foi a apresentação do livro da autoria de António Dias Cardoso, confrade fundador da Confraria de Enófilos da Bairrada, intitulado “Demarcação da Bairrada – Um Percurso Atribulado”. A obra, realizada sob a chancela da Academia do Vinho da Bairrada, abarca os antecedentes históricos que estiveram na base da criação da Região Demarcada da Bairrada, em 1979, iniciando-se no final da Monarquia, passando pelos impasses da 1.ª República, pela política vitivinícola do Estado Novo e pela longa agonia que atravessou o sector durante o governo de Marcelo Caetano, a qual se arrastou alguns anos do pós-25 de Abril.

O local escolhido para a cerimónia foi o Altis Belém Hotel, em Lisboa, pelo simbolismo histórico da ilustre vizinhança – a Torre de Belém e o Padrão dos Descobrimentos. O evento institucional foi marcado por três momentos altos e pela presença de mais de 50 notáveis convidados. Os espumantes e tantos outros vinhos da região vitivinícola bairradina marcaram, naturalmente, forte presença, assim como o ‘Leitão à moda da Bairrada’ do prestigiado restaurante Rei dos Leitões.

A projeção do futuro da Confraria dos Enófilos da Bairrada foi feita, igualmente, por Célia Alves, Presidente da Direção da Confraria dos Enófilos da Bairrada, assinalando o momento como o ponto de viragem para a modernidade da sua missão, reforçando a componente de internacionalização e valorização do papel da mulher no mundo do vinho. Para marcar a anunciada viragem, Célia Alves anunciou que, no próximo capítulo, a realizar em novembro de 2019, a intenção da Confraria dos Enófilos da Bairrada será entronizar uma mulher que, atualmente, é uma das mais importantes e influentes críticas e educadoras de vinho do Mundo, e com um percurso marcante da divulgação e democratização do vinho cujo nome será divulgado oportunamente.

O evento de homenagem teve presentes os Confrades de Honra Joaquim da Silva Lourenço, Roberto Artur da Luz Carneiro, Manuel Maria Cardoso Leal, João Pedro Machado, Júlio Magalhães, Frederico Falcão e Fernando Carvalho Rodrigues, cabendo a este último representar os Confrades no discurso evocativo.

A celebração do vinum baerradinum foi primada pela rigorosa seleção dos vinhos e espumantes por parte da Confraria Enófila da Bairrada, de modo a mostrar aos convidados a qualidade e a versatilidade da Região Vitivinícola da Bairrada, terroir de brancos, tintos, espumantes, licorosos e aguardentes. Para o efeito, foi crucial a colaboração dos produtores bairradinos, levando à prova referências vínicas produzidos nos territórios de Anadia, Mealhada, Cantanhede e Águeda.