//“A cozinha já fechou”

“A cozinha já fechou”

Um cliente indignou-se porque o ‘seu’ grupo de 10 pessoas não foi atendido no restaurante no horário em que lhes apeteceu ir almoçar.

Um artigo (devidamente assinado) recentemente publicado na versão online do jornal ‘Sol’ provocou uma onda de indignação no espaço dedicado aos comentários.

O autor do texto contava a sua própria experiência, no Algarve, de tentar almoçar com um grupo de 10 pessoas, “pouco depois das 15 horas” como refere e, num dos restaurantes a que se dirigiu a resposta foi: “A cozinha já fechou”.

A situação mereceu críticas do articulista que aproveitou para manifestar não apenas o seu desagrado por este caso, mas também a sua opinião sobre a forma como são tratados os clientes naquela região, particularmente no mês de agosto.

Ora, a questão é esta: será que os trabalhadores do restaurante em questão são obrigados a submeter-se aos horários a que os clientes decidem deixar a praia para almoçar?

Talvez muitos clientes não tenham noção do que é estar 5, 6 ou mais horas seguidas na cozinha a ‘rezar’ para que chegue a hora de parar para descansar. Mas deviam tentar.

Se ‘aquela’ cozinha fecha às 15 horas, talvez a melhor opção seja procurar outro restaurante em que o horário de almoço seja mais dilatado. Ou mesmo comer algo mais simples.

Ou, melhor ainda, sair mais cedo da praia.

É tão fácil criticar os restaurantes, os empresários e os colaboradores.

A propósito, qual é o horário dos que passam a vida a criticar?