Congresso junta mais de 700 confrades europeus

Oeiras recebe o XIV Congresso do Conselho Europeu de Confrarias Eno-Gastronómicas vai realizar-se a 4, 5 e 6 de novembro.

Subordinado ao tema «Portugal, País de Descobrimentos e excelência gastronómica/A Europa enológica e culinária» o evento é organizado em parceria pelo Conselho Europeu de Confrarias Eno-Gastronómicas (CEUCO), a Confraria do Vinho de Carcavelos e as Câmaras Municipais de Oeiras e Cascais.

De acordo com a organização está prevista a participação de mais de 700 confrades, em representação de cerca de 78 confrarias de Portugal, Espanha, França, Itália, Bélgica, Grécia, Hungria e ainda a Região Administrativa de Macau.

1-1O programa, apresentado em conferência de imprensa, inclui a Assembleia Geral do Ceuco e um jantar de boas vindas em Oeiras no dia 4 e a sessão de abertura no sábado dia 5, no Auditório da Boa Nova no Estoril onde serão entregues os «Prémios Aurum – Europa Excellence Enogastronomic 2016» e se fará a entrega do bastão ao país organizador do Congresso de 2017.

Pelas 14 horas os Jardins do Palácio do Marquês de Pombal recebem os confrades para o «Almoço da Partilha» no qual serão degustados os produtos que as confrarias trouxeram e representam. O dia encerra com um jantar de Gala no Casino do Estoril.

No domingo dia 5, os participantes farão um desfile entre o Estádio do Restelo e o Mosteiro dos Jerónimos onde assistirão a missa e bênção dos estandartes.

Martin Cosme, presidente do CEUCO, manifestou a sua satisfação pela realização deste Congresso em Portugal que designou como um “império gastronómico” e elogiou o trabalho da organização.

O CEUCO

Atualmente constituído pelas confrarias dos países já referidos, o Conselho Europeu de Confrarias Eno-Gastronómicas (CEUCO) é uma organização europeia sem fins lucrativos, constituída em Novembro de 2003 e tem como finalidade a defesa dos produtos agroalimentares e gastronomia de qualidade, dos países da União Europeia onde existam confrarias ou associações com os mesmos fins, mantendo e preservando o legado histórico dos costumes dos respetivos povos, comarcas ou regiões.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *