//‘Coelheiros’ apresenta novas colheitas

‘Coelheiros’ apresenta novas colheitas

As novas edições do Coelheiros Branco 2017 e Coelheiros Tinto 2016 já se encontram disponíveis no mercado.

É na Herdade de Coelheiros, uma propriedade familiar localizada na aldeia de Igrejinha, concelho de Arraiolos, que nascem alguns dos vinhos mais emblemáticos da região do Alentejo. O segredo está no profundo respeito pela natureza e na singularidade da terra, que se estende por mais de 800 ha, entre os quais 50ha de vinha em parcelas selecionadas, 40ha de pomar de nogueiras e uma vasta área de montado onde pastam livremente ovelhas, veados e gamos.

Para proteger a biodiversidade da Herdade de Coelheiros, está a ser desenvolvido, em parceria com o Departamento de Biologia da Escola de Ciências e Tecnologia da Universidade de Évora, um estudo que tem como principal objetivo avaliar que práticas ambientais e culturais devem ser implementadas na propriedade para possibilitar que, no prazo máximo de 3 anos, se possa reconverter as atuais práticas para um sistema de exploração agrícola totalmente sustentável.

Este compromisso com a natureza, inserido na missão de preservar o património natural da Herdade, é gravado em cada garrafa produzida, como são testemunhas as novas colheitas Coelheiros Branco 2017 e Coelheiros Tinto 2016. Desenhados em perfeita simbiose com a natureza, estes vinhos são dois verdadeiros símbolos da consistência e resistência da casa.

Feito a partir de Arinto, uma casta que se tem mostrado bem-adaptada aos solos graníticos da Vinha da Sobreira, o Coelheiros Branco 2017 revela uma cativante acidez, com notas cítricas de tangerina e uma agradável elegância na boca. Um conjunto harmonioso que lhe atribui o estatuto de vinho gastronómico e versátil, revelando um bom potencial de envelhecimento.

Por sua vez, o Coelheiros Tinto 2016 revela, simultaneamente, o carácter vigoroso concedido pelo Aragonêz e a textura sedosa e densidade de boca proporcionadas pelo Alicante Bouschet, duas castas típicas do Alentejo. As uvas provêm das emblemáticas Vinha do Taco e Vinha da Sobreira, que têm como particularidade não serem irrigadas e, por isso, alcançarem elevados níveis de concentração. O resultado é um vinho com boa expressão aromática, evidenciando densidade, equilíbrio, boa acidez e taninos finos. O final é longo e persistente.

Ambos os vinhos ostentam no rótulo uma das tradições seculares da região onde se inserem – os Tapetes de Arraiolos, uma imagem que conta com assinatura do designer Eduardo Aires. Os vinhos já se encontram disponíveis no mercado nacional, contando com distribuição exclusiva da Heritage Wines.