Chocolate previne declínio mental

O consumo regular de chocolate reduz em 40%, a longo prazo, o risco de declínio mental em idosos.

Realizado por um conjunto de investigadores portugueses de diversas instituições, este é o primeiro estudo que associa o efeito a longo prazo do chocolate com o declínio cognitivo em seres humanos idosos.

Participaram no estudo, inicialmente, 531 participantes com 65 ou mais anos, que constituíram um grupo avaliado a vários níveis: histórico sócio-cultural, condição física e capacidades cognitivas medianas que foram testadas através do famoso teste Mini-Mental State Examination (MMSE). O consumo de chocolate e café também foi avaliado, ao longo da investigação.

Após dois anos de acompanhamento, os pacientes voltaram a ser examinados na Universidade do Porto para verificar como estavam as suas capacidades cognitivas, ou seja, para ver se a sua capacidade mental tinha deteriorado.

Os resultados, publicados no Journal of Alzheimer’s Disease, revelaram que o consumo moderado de chocolate reduziu em 40%, o risco de declínio mental dos participantes. Os investigadores apontam os flavanóides, ingrediente antioxidante presente no chocolate, como sendo responsáveis por este efeito.

3Uma informação importante a ter em conta é que o efeito protetor do chocolate só foi encontrado nos participantes que consumiam menos de 75 miligramas de café por dia, o equivalente a um expresso normal.

Embora seja difícil avaliar os efeitos do chocolate a longo termo devido às limitações associadas ao estudo de hábitos alimentares, a investigação concluiu que o consumo regular de chocolate tem, efetivamente, efeitos preventivos ao nível do declínio cognitivo em idosos.

Fonte: boasnotícias.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *