Chefe italiano «atacado» por mudar receita da pizza marguerita

A nova versão desta tradicional pizza, “mais saudável e crocante”, está a provocar duras críticas a Carlo Cracco.

Cracco é um chefe muito conhecido em Itália pela participação como júri de programas como “MasterChef” e “Hell’s Kitchen” e também pela qualidade da sua cozinha de criação moderna. Terá sido esse esforço de ‘modernidade’ que o levou a apresentar uma nova versão mais, apresentada como “mais saudável e crocante” da pizza marguerita, que tradicionalmente integra tomate, mozarela e manjericão.

Detentor de várias estrelas Michelin, o Chefe Cracco, para renovar a ementa do restaurante Galeria Victor Emanuel, em Milão, decidiu fazer algumas alterações à receita original da pizza misturando sementes e cereais inteiros na massa, engrossando o molho de tomate e colocando pedaços de queijo mozarela por derreter, no topo.

A inovação elevou o preço da pizza para 16 euros e não foi bem vista em Nápoles, cidade berço da tradicional pizza Marguerita. E, pior ainda, mereceu o ‘ataque’ dos defensores da tradição que acusaram Cracco de manchar a identidade regional e nacional. O escritor e jornalista napolitano Angelo Forgione, que encabeçou as críticas, afirmou mesmo que a criação gastronómica não era mais do que uma “pizza rachada”.

As poucas críticas favoráveis foram totalmente abafadas pelas negativas

Recorde-se que a pizza marguerita foi criada em 1889 pelo pizzeiro Raffaele Esposito, em homenagem à Rainha da Itália, Margherita de Sabóia, e à unificação italiana. Por essa razão as cores dos ingredientes da pizza correspondem às da bandeira do país: (vermelho) mozzarella (branco) e manjericão (verde).

O amor pela tradicional marguerita levou a Unesco a reconhecer, no ano passado, a pizza napolitana como património cultural da Humanidade.

Fonte: JN

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *