Cervejaria Trindade comemora 180 anos

Neste espaço único, repleto de história e misticismo, os típicos bifes, o marisco e as sobremesas conventuais assumem lugar de destaque.

E os números que refletem os consumos anuais, são esclarecedores: 70.000 litros de cerveja, 17.800 kg de carne, 16.200 Kg marisco, 260.000 unidades de pão e 145.000 clientes.

Para assinalar a efeméride a empresa «recuperou» para os jornalistas, na interpretação de três artistas, três personagens que fazem parte da história do convento e da cervejaria: a Rainha Santa Isabel, numa alusão à atividade do convento antes do terramoto de 1755, Manuel Moreira Garcia o ‘visionário’ que fundou a cervejaria e João da ‘Barateira’, um cliente que frequentou a Trindade desde os 19 anos até à sua morte e a quem a empresa homenageou pagando-lhe o funeral.

A História

5.1Quatrocentos e cinquenta anos depois da sua fundação e, entre um incêndio e o terramoto de 1755, que deu origem à expressão “caiu o Carmo e a Trindade”, em 1836 Manuel Moreira Garcia, um industrial galego com ideais maçónicos, construiu naquele local a Fábrica de Cervejas Trindade e abriu também o primeiro balcão de venda direta ao público, em 1940. Assim nasce a Cervejaria Trindade.

As suas paredes decoradas com painéis de azulejos do século XIX da autoria de “Ferreira das Tabuletas”, antigo diretor artístico da Fábrica de Cerâmica Viúva Lamego e com os quadros naturalistas em calçada portuguesa, embutidos nas paredes, de Maria Keil, transportam os seus visitantes para a Idade Média. A ementa conventual e tradicional portuguesa e o próprio espaço, tornam-na diferente, única e parte do roteiro turístico para quem visita a cidade de Lisboa.

Já reconhecida como Património Cultural da Cidade de Lisboa e Património Relevante de Valor Histórico-Cultural pelas Secretaria de Estado do Turismo e Direção Geral do Turismo respetivamente, em 1986 e 1997, a Cervejaria Trindade foi ainda reconhecida, em 1987, com a medalha de Mérito Turistico no grau de Prata por prestação de serviços relevantes para o turismo Português.

Para Francisco Carvalho Martins, Administrador do Grupo Portugália Restauração, detentora da Cervejaria Trindade desde 2007, “A Cervejaria Trindade é, sem dúvida, um dos ativos mais valiosos do nosso Grupo. Uma marca extremamente rica que, não só é parte integrante da história de Portugal, como também diariamente é uma mostra turística para os inúmeros turistas que procuram saber mais sobre a cultura e vida nacional.”

Adaptação às novas tendências

A fim de solidificar a sua raiz histórica e contemporânea, em 2014, a Cervejaria Trindade decidiu apostar num novo conceito.

Uma transformação que procurou ser um passo na consolidação da sua raiz histórica, reforçando o seu ambiente conventual, através da alteração do mobiliário e da iluminação, com a inclusão de tochas e candelabros, bem como pela introdução de música gregoriana a acompanhar as refeições.

A rica ementa da Trindade

Com 180 anos de experiência no mercado da restauração, a Cervejaria Trindade conta hoje com uma ementa de excelência e de inspiração conventual que todos os anos faz as delícias de mais de 150.000 clientes.

5.2Independentemente das necessárias adaptações às novas tendências de consumo, a Cervejaria Trindade continua a ser reconhecida pelos seus típicos pratos, como o Bife à Trindade. Do Lombo, da Vazia ou de Alcatra, o Bife à Trindade é feito com as mais tenras peças, cortadas com delicadeza, mestria e arte, e regado com o Molho à Trindade, o ex-libris da Cervejaria.

Com um ambiente e um cardápio típico de marisqueira, na mais antiga das Cervejarias Portuguesas, o tremoço e a cerveja não poderiam faltar, bem como a montra completa de fresco e requintado marisco, da costa nacional e de costas distantes, que abrem o apetite aos centenas de visitantes.

Nas mesas de madeira a lembrar os refeitórios dos frades que outrora aqui se instalaram, com os candelabros que marcam o ambiente medieval e os hábitos de monge dos gerentes, para além da boa comida, há sempre um outro imperativo na mesa: o convívio.

Dos nobres do séc. XIX, a artistas, desportistas e políticos da atualidade, foram várias as figuras públicas da cultura nacional que conviveram, desfrutaram e festejaram nas salas que compõem a mais antiga cervejaria de Lisboa.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *