Carne de coelho é proteína de tradição

Tradicional na Dieta Mediterrânica, o consumo de carne de coelho tem vindo a diminuir em Portugal e Espanha.

Para contrariar esta tendência, no final de junho foi apresentada na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa uma campanha, promovida pela ASPOC – Associação Portuguesa de Cunicultura, que tem como objetivo promover o consumo de carne de coelho.

Na ocasião o Chefe Hélio Loureiro e a filha, Bárbara Loureiro, deliciaram os presentes com algumas receitas confecionadas, obviamente, com esta carne.

O site carnedecoelhohoje.eu apresenta um conjunto de informações, nomeadamente com apresentação de cortes pouco usuais neste tipo de carne, como por exemplo as costeletas e os lombos, bem como um conjunto de inovadoras receitas.

Fique entretanto a conhecer mais algumas das caraterísticas da carne de coelho, de acordo com as informações fornecidas pela ASPOC.

Uma opção alimentar equilibrada
Comparativamente a outras carnes presentes no ponto de venda, a de coelho é uma das que contém menos gordura, apresentando uma digestibilidade mais facilitada. É considerada uma carne branca, sendo habitualmente integrada no grupo das aves, apesar de não ter esta classificação.

Benefícios nutricionais
Tal como outras espécies de carnes brancas, como o peru ou o frango, a carne de coelho destaca-se pelo aporte energético reduzido e de colesterol. Contribui, por isso, para um bom funcionamento do sistema cardiovascular e para o controlo do peso corporal.

Numa refeição, cada 100 gramas de carne de coelho, equivale a aproximadamente 20,3 gramas de proteínas, de qualidade superior às de origem vegetal.

Vitaminas e minerais
É fornecedora de minerais, designadamente de potássio, fósforo, magnésio, zinco e ferro. Relativamente aos valores vitamínicos, a carne de coelho é fornecedora de vitaminas do complexo B. Em concreto, podemos encontrar vitaminas como a B12, a B3 e a B6, que partilham o seu protagonismo com outras em menor quantidade, como a B2 e a B1.

Dez razões para incluir a Carne de Coelho no nosso dia-a-dia

É uma carne magra, visto ser fornecedora de pouca quantidade de gordura;

Não contém ácido úrico, podendo ser uma alternativa para quem deve controlar esse elemento na sua alimentação;

Contém uma importante quantidade de minerais como potássio e fósforo.

Contém vitaminas do complexo B;

É fonte de proteínas de alto valor biológico, necessárias em todas as fases da vida;

Apresenta fácil digestibilidade, devido à pouca quantidade de fibras de colagénio e de pouca gordura;

Tem baixo teor de sódio;

Apresenta um aporte energético de aproximadamente 117 Quilocalorias por cada 100 gramas;

É versátil, existem inúmeras receitas devido à sua presença histórica na tradição mediterrânica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *