Canadá quer fazer vinho de «estufa»

O processo passa por estufas que criam temperaturas e ambiente estáveis, que simulem uma temporada de crescimento natural das videiras.

O objetivo da pesquisa da Universidade de Trent, no Ontário, é conseguir contrariar os invernos frios e a curta estação de crescimento das videiras, que constituem as principais limitações da atividade vitícola do Canadá.

3-1Os resultados alcançados permitem já perceber que «indoor», as plantas podem crescer duas a três vezes mais rápido do que ao ar livre. O processo implica que as temperaturas e o ambiente estáveis simulem uma temporada de crescimento natural durante todo o ano, reduzindo o tempo que as novas vinhas precisam antes de entrar em produção. Face aos custos adicionais deste tipo de produção, os pesquisadores esperam que os rendimentos dobrem e até mesmo tripliquem.

Os pesquisadores desenvolveram também uma mistura de nutrientes para as videiras, esperando que as condições «indoor» tornem possível aproximar o terreno dos solos naturais e também evitar uma excessiva utilização de pesticidas e fungicidas, tornando assim possível produzir vinhos orgânicos.

A informação da universidade admite que ainda há muito trabalho a fazer antes da comercialização do vinho. Para já, os investigadores afirmam que as uvas «indoor» têm níveis de açúcar, ph e acidez adequados para a produção de vinho e já pensam em apostar na casta syrah que é cultivada no Canadá por causa dos danos às videiras causados pelo congelamento no inverno.

O mercado do Canadá é o 8.º destino de vinhos portugueses e regista bons crescimentos sucessivos, tendo terminado 2015 com um crescimento em valor acima dos 14%.

Refira-se ainda, como curiosidade, que uma família portuguesa apostou na produção de vinho no oeste do Canadá e já recebeu diversos prémios, que certificam o sucesso alcançado pela marca «Quinta Ferreira».

“O nosso vinho tinto da casta ‘syrah’ de 2009 foi reconhecido em 2014 como o melhor vinho do país, através dos Prémios de Vinho Nacionais do Canadá, mas não queremos ficar por aqui”, disse à agência Lusa John Ferreira, proprietário da Quinta Ferreira.

A Quinta Ferreira produz anualmente 60.000 garrafas, número que o luso-canadiano espera aumentar progressivamente.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *